A disputa da vacina e as 160 mil mortes pela Covid-19

Lorena Lara, da CNN em São Paulo
12 de novembro de 2020 às 05:30

A disputa política sobre o desenvolvimento de vacinas alcançou um novo patamar nesta semana, envolvendo a Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, responsável pela aprovação dos imunizantes, e o Instituto Butantan, ligado ao governo paulista.

Na segunda, a Anvisa interrompeu os testes após a notificação de um "evento adverso grave" com um dos voluntários. O presidente Jair Bolsonaro comemorou a decisão da agência como uma "vitória" nas redes sociais. O Instituto Butantan, que coordena os testes, questionou a interrupção do estudo. E até o Supremo Tribunal Federal entrou na briga, dando 48 horas para que a Anvisa explicasse a paralisação dos testes, retomados nesta quarta (11). Tudo isso enquanto o país passa a marca das 160 mil mortes pela doença.

Neste episódio do E Tem Mais, Monalisa Perrone conversa com o diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, Renato Kfouri, para entender como esse novo capítulo da politização das vacinas pode interferir em seu desenvolvimento, no descrédito de órgãos científicos e na confiança da população.

Leia também:

Governo federal avança em conversas para comprar vacina da Pfizer

Conexão CNN: Após declaração de Bolsonaro, redes sociais se voltam contra Anvisa

Conheça os podcasts da CNN Brasil:

5 Fatos

Abertura de Mercado 

Horário de Brasília 

Na Palma da Mari 

O Que Eu Faço? 

Todo o conteúdo da grade digital da CNN Brasil é gratuito.

O podcast E Tem Mais é publicado de segunda a sexta, sempre no início da manhã
Foto: CNN Brasil