Correspondente Médico: Como o DNA influencia em formas graves da Covid-19?

Neurocirurgião Fernando Gomes comentou pesquisa do Reino Unido que descobriu cinco genes-chave ligados às formas mais graves de Covid-19

Da CNN, em São Paulo
14 de dezembro de 2020 às 09:19

 

Na edição desta segunda-feira (14) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes comentou a pesquisa do Reino Unido que descobriu cinco genes-chave (IFNAR2, TYK2, OAS1, DPP9 e CCR2) ligados às formas mais graves de Covid-19.

Leia também:
Cientistas identificam cinco genes-chave ligados à forma mais grave da Covid-19
Cidades dos EUA começam a receber primeiras vacinas contra o novo coronavírus
Cidade mineira tem 1ºs casos, e Covid-19 chega a todos os municípios do Brasil

"Genes relacionados à produção de anticorpos contra o vírus e à resposta inflamatória pulmonar foram identificados em pessoas que tiveram forma grave e moderada [da doença], mostrando que existe sim uma influência genética inata, que a pessoa já traz com ela dentro do DNA. Isso abre uma porta para identificar medicamentos que devam ser utilizados nas pessoas com essas características. Pois, talvez, não seja preciso utilizar o mesmo remédio quando um caso se mostra moderado ou grave para todas as pessoas", explicou o médico.

No quadro Correspondente Médico, dr. Fernando Gomes explicou genes-chaves relacionados à Covid-19
Foto: CNN Brasil (14.dez.2020)

(Publicado por: André Rigue)