'Pequeno preço a pagar', diz consultor de Biden sobre reação alérgica à vacina

“Estou disposto a ter meu braço dolorido e potencialmente ter uma reação para ficar protegido da Covid-19", disse Michael Osterholm

Por Lauren Mascarenhas, da CNN
17 de dezembro de 2020 às 06:26
Enfermeira aplica vacina contra a Covid-19
Foto: Justin Tallis/Reuters via Pool (8.dez.2020)


A hospitalização de um profissional de saúde do Alasca devido a uma reação adversa à vacina contra a Covid-19 da Pfizer deve "ser contextualizada", disse um membro do conselho consultivo do presidente eleito dos EUA, Joe Biden, nesta quarta-feira (16).

Em entrevista à CNN americana, Michael Osterholm afirmou que, embora ninguém deseje qualquer tipo de reação adversa ao receber uma injeção, “temos que lembrar que essas vacinas são para evitar que as pessoas morram e fiquem gravemente doentes”.

Leia também:
Pessoas com 'alergias significativas' não devem se vacinar, diz Reino Unido

Testes da vacina da Pfizer excluíram pessoas com histórico de alergias graves

O profissional de saúde no Alasca foi tratado com epinefrina e no momento seu quadro é estável.

“Para mim, este é um pequeno preço a se pagar”, disse Osterholm, que também é chefe do Centro de Pesquisa e Política de Doenças Infecciosas da Universidade de Minnesota.

“Estou disposto a ter meu braço dolorido, estou disposto a potencialmente ter uma reação, para ficar protegido", acrescentou.

(Este texto é uma tradução. Leia a matéria original aqui)