‘Estamos isolados, é cada um por si neste caos', relatam prefeitos do AM

Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN  
15 de janeiro de 2021 às 14:18 | Atualizado 15 de janeiro de 2021 às 15:33


Prefeitos das duas maiores cidades do interior do Amazonas relataram nesta sexta-feira (15) à CNN que os sistemas de saúde municipais entraram em colapso.

“Faço um pedido de socorro. Manaus está grave, mas aqui dentro do estado a situação é de guerra, e estamos cada um por si neste caos, lutando para salvar vidas”, disse o prefeito Mário Ibrahim, da cidade de Itacoatiara, a terceira maior do Amazonas. 

 

Homem deixa hospital do Amazonas para ser transferido ao Piauí
Homem deixa hospital do Amazonas para ser transferido ao Piauí, onde receberá tratamento contra Covid-19
Foto: Lucas Silva - 15.jan.2021/Secom Amazonas

Segundo Ibrahim, o sistema de saúde local atende outros seis municípios do entorno e, no momento, são 42 pessoas internadas em estado grave, e que precisam de UTI, uma vez que o oxigênio da cidade está muito perto do fim. 

“Cada cidade aqui está se virando, mas tudo se concentra em Itacoatiara, que é a maior da região. Estamos isolados, a ajuda não está chegando”, afirmou o prefeito à CNN.

Bi Garcia, prefeito de Parintins, segunda maior cidade do Amazonas, afirmou que a cidade só tem mais 24 horas de oxigênio para 90 pacientes internados no principal hospital da cidade - todos com o novo coronavírus

“Estou a 24 horas de Manaus de barco. As dificuldades são imensas, e o problema é ainda maior no interior do estado, que é imenso. Tem cidades que só vão conseguir ajuda daqui 15 dias”, relatou o prefeito. 

De acordo com Bi Garcia, Parintins recebeu 45 cilindros de oxigênio, que suprirão a cidade até sábado (16). Um novo carregamento deve chegar ainda hoje, de balsa, na cidade.

“A logística é muito complicada, e ainda há o risco de levarem os cilindros para Manaus”, afirmou.