'Estamos caminhando talvez para o pior momento da pandemia', diz infectologista

Aumento de casos pelo país exige "medidas mais agressivas" para combate à Covid-19

Da CNN, em São Paulo
22 de janeiro de 2021 às 10:24


Medidas restritivas como as que serão anunciadas nesta sexta-feira (22) em São Paulo são necessárias para evitar que o número de casos e mortes por Covid-19 continuem aumentando pelo país, avalia o  infectologista e diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) Renato Kfouri, em entrevista à CNN nesta sexta-feira (22).

"É absolutamente necessário, não há outra opção a ser feita. Estamos caminhando talvez para o pior momento da pandemia. O aumento de casos vem chegando próximo ao pico de junho, julho. A letalidade felizmente não vem acompanhando, em razão da melhora da nossa assistência e de hoje os mais jovens estarem sendo acometidos. Mas estamos caminhando para mais de mil mortos por dia, voltamos a essas taxas. Com esse evoluir da pandemia, são necessárias medidas mais agressivas", avalia.

 

Renato Kfouri, infectologista e diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) (22.jan.2021)
Foto: Reprodução/CNN

Enquanto as vacinas não chegam para todos, os cuidados repetidos desde março do ano passado devem continuar sendo tomados, explica. "É preciso que a população não relaxe, essa sensação de que as vacinas estão chegando não pode ser motivo de descuido. A notícia boa não nos protege. A vacina que dispomos é a máscara, o distanciamento e a não aglomeração. Precisamos muito continuar respeitando isso até vacinar boa parte da população", conta.

(Publicado por Leonardo Lellis)