Não é só a N95: Máscaras caseiras também podem proteger das cepas do coronavírus

No quadro Correspondente Médico, neurocirurgião Fernando Gomes explica que, se usadas corretamente, máscaras de tecido são eficientes na proteção

Da CNN, em São Paulo
26 de janeiro de 2021 às 10:21 | Atualizado 26 de janeiro de 2021 às 10:32


Na edição desta terça-feira (26) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou que, se usadas corretamente, as máscaras de tecidos também protegem contra as novas mutações do coronavírus, apesar de não terem o mesmo poder de filtragem dos tipos N95 ou FFP2.

Na França, o governo proibiu a circulação em público com máscaras feitas em casa e exigiu o uso obrigatório de acessórios mais filtrantes.

"Basicamente, temos três tipos de máscaras que estão relacionadas com a capacidade de filtrar. A máscara caseira ou feita de tecido oferece, se utilizada a forma correta, a possibilidade de se filtrar e garantir que não exista saída de gotículas através da respiração", explicou Gomes. "Ela protege muito mais as outras pessoas do que a mim mesmo."

"Já as máscaras de uso hospitalar, que são descartáveis, também permitem que você não libere gotículas para fora e confere proteção [individual]. A N95, que promove uma filtragem muito maior, garante que você proteja as outras pessoas e a si mesmo. A porosidade dela é muito menor, como se fosse um filtro fininho", disse o médico.

"Para um vírus com poder de contaminação maior, como temos visto com as variantes, a N95 teria uma eficiência maior se todo mundo utilizasse, mas não significa que ela combate o vírus propriamente dito porque não é o caso", completou Fernando Gomes.

Máscara de pano para proteção contra o coronavírus
Máscara de pano para proteção contra o coronavírus
Foto: Reuters

Foto: Amanda Perobelli/Reuters (15.jul.2020)