Vacina da Pfizer deverá ir para locais com super freezers, explica especialista

Laboratório pediu registro definitivo da vacina no Brasil

Produzido por Vinícius Tadeu, da CNN em São Paulo (Supervisionado por Elis Franco)
06 de fevereiro de 2021 às 13:14 | Atualizado 06 de fevereiro de 2021 às 13:14


 

Em entrevista à CNN, a epidemiologista e ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunização, Carla Domingues, falou sobre o pedido de uso definitivo da Pfizer no Brasil. Ela acredita que a necessidade de conservação do imunizante em em uma temperatura inferior -70° C faz com que seja difícil ele ser levado a todos os municípios. E diz que o momento, agora, é do Governo Federal acelerar o processo de compra das doses.

“Ainda não temos nenhum contrato firmado com este laboratório e o governo federal. O que precisa neste momento é que se acelere o processo dessa formalização de compra para que a gente possa, assim que o registro for liberado, nós já tenhamos essa vacina disponível em nosso país”.

 

Segundo Domingues, o mais provável é que o imunizante seja usado nos grandes centros que dispõem da infraestrutura necessária.

“Uma vez que nós temos outras vacinas, o ideal é que esta se concentre em grandes centros onde há essa possibilidade de ter estes super freezers - seja porque eles já foram adquiridos pelos estados, ou porque nós temos laboratórios de pesquisas, em universidades, que podem fazer um acordo com os locais, nas capitais, por exemplo, e emprestar este super freezers”.

“Precisamos mapear as localidades que têm este super freezers para que possamos trabalhar em parceria em complementação a rede de freezer do Ministério da Saúde. Não acredito que haja uma possibilidade de utilização desta vacina em todos os municípios brasileiros”.

Epidemiologista Carla Domingues (06 jan 2021)
Epidemiologista Carla Domingues (06 jan 2021)
Foto: Reprodução / CNN

A epidemiologista explica que o registro definitivo ampliará o público que poderá receber a vacina com segurança.

“Essa importante liberação do registro definitivo significa que você vai poder aplicar a vacina em toda a população definida pela bula. Você não tem essas restrições mais da forma emergencial. Então você amplia o número de pessoas que poderão ser vacinadas a curto prazo de tempo”.

(*Sob supervisão de Elis Franco)