Moderna desenvolve vacina contra Covid-19 atualizada para variante sul-africana

Doses foram enviadas para análise do Instituto de Saúde dos EUA

John Bonifield, da CNN
24 de fevereiro de 2021 às 18:52 | Atualizado 24 de fevereiro de 2021 às 18:53
Vacina contra Covid-19 da Moderna
Vacina contra Covid-19 da Moderna
Foto: Adriana Toffetti/A7 Press/Estadão Conteúdo (15.dez.2020)

A Moderna desenvolveu uma versão atualizada de sua vacina contra Covid-19 para combater a variante do vírus identificada pela primeira vez na África do Sul, anunciou a empresa nesta quarta-feira (24). As doses iniciais foram enviadas para os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos para um estudo clínico.

A nova vacina, chamada mRNA-1273.351, será avaliada como uma dose de reforço para pessoas que já foram vacinadas contra o coronavírus e como uma vacina primária para pessoas que não tiveram coronavírus e ainda não foram vacinadas.

A Moderna disse que também vai avaliar uma injeção de reforço "multivalente" que combina a nova formulação da vacina com a vacina atual.

Além disso, a empresa disse que começou a testar se uma terceira dose mais baixa de sua atual vacina da Covid-19 pode aumentar a imunidade contra variantes preocupantes do coronavírus, com alguns participantes do estudo recebendo três doses.

Na segunda-feira (22), a agência reguladora dos EUA, o FDA, emitiu uma nova orientação aos fabricantes de vacinas para lidar com o surgimento de variantes do coronavírus. A agência recomendou que os dados dos estudos de imunogenicidade clínica sejam usados "para apoiar quaisquer alterações ou atualizações das vacinas". Esses estudos seriam menores e levariam menos tempo do que os ensaios clínicos em grande escala.

"Será da ordem de algumas centenas de indivíduos em termos de tamanho e esperamos que demore alguns meses", disse o Dr. Peter Marks, diretor do Centro de Avaliação e Pesquisa Biológica do FDA durante um ligação com repórteres na segunda.

A Moderna disse que planeja "avaliar a imunogenicidade e segurança nos participantes" de acordo com a orientação atualizada recentemente.

"Estamos agindo rapidamente para testar atualizações nas vacinas que abordam as variantes emergentes do vírus. A Moderna está empenhada em fazer quantas atualizações em nossa vacina forem necessárias até que a pandemia esteja sob controle. Esperamos demonstrar que as doses de reforço, se necessárias, poderão ser dadas em níveis de dose mais baixos, o que nos permitirá fornecer muito mais doses à comunidade global no final de 2021 e 2022", disse Stephane Bancel, CEO da Moderna, em um comunicado à imprensa nesta quarta.

A Moderna não informou quanto tempo vai demorar para divulgar os estudos ou quando a nova vacina estará disponível, caso seja autorizada.

(Texto traduzido, leia o original em inglês)