Crise da Covid-19 no Brasil é "exemplo de alerta", dizem autoridades

"Manter esse vírus sob controle requer atenção contínua das autoridades de saúde pública para proteger as pessoas e os sistemas de saúde”, diz diretora da Opas

Hira Humayun, da CNN
17 de março de 2021 às 16:53 | Atualizado 17 de março de 2021 às 17:06
Funcionária de cemitério em Manaus durante pandemia da Covid-19
Funcionária de cemitério em Manaus durante pandemia da Covid-19
Foto: Bruno Kelly/Reuters (31.dez.2020)

Funcionários da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) abordaram a crise da Covid-19 no Brasil em coletiva de imprensa virtual na quarta-feira (17). A Diretora da Opas, Dra. Carissa Etienne, chamou isso de “um exemplo de advertência de que manter esse vírus sob controle requer atenção contínua das autoridades e líderes de saúde pública para proteger as pessoas e os sistemas de saúde” dos efeitos do vírus.

Ela disse que o Brasil agora registra o maior número de novas infecções na região e o segundo maior número de mortes diárias pelo vírus, no mundo — com várias áreas do país testemunhando um número recorde de infecções e leitos hospitalares que estão quase no fim da capacidade em mais da metade dos estados brasileiros.

O gerente de incidentes da Opas, Dr. Sylvain Aldighieri, disse que a situação no Brasil é resultado de um aumento da transmissão durante o período de férias e, posteriormente, no carnaval. Duas semanas após o Natal e duas semanas após o Carnaval, foram registrados picos de casos.

“Gostaria de destacar que durante esses dois períodos, a implementação de medidas de saúde pública no Brasil foi abaixo do ideal na maior parte do território.”

A partir de hoje, disse ele, a transmissão no Brasil é “muito alta” em todas as regiões e está aumentando ao mesmo tempo em todas as regiões. “Essa é a diferença em relação à onda pandêmica de 2020, o que temos agora — esse aumento simultâneo em todas as regiões do Brasil.”

Aldighieri citou dados do Ministério da Saúde brasileiro dizendo que até terça-feira, todos os 27 estados do Brasil mais o Distrito Federal estavam relatando uma taxa de ocupação de UTI de mais de 75%, e 20 dos 27 estavam relatando mais de 85% de ocupação.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês).