Falta de 'kit de intubação' inviabiliza bom cuidado de pacientes, alerta médica

Medicamentos são usados em pacientes em casos graves de coronavírus para controlar a dor, sedar e relaxar a musculatura durante a intubação

Produzido por Vinícius Tadeu, da CNN em São Paulo*
19 de março de 2021 às 07:53

Em meio à superlotação de hospitais em várias partes do país por causa da Covid-19, governadores fazem um alerta sobre um outro problema nas internações: a falta de medicamentos que fazem parte do “kit intubação”, usado em pacientes em casos graves de coronavírus. O estoque está perto do fim em pelo menos dez estados.

Em entrevista à CNN na manhã desta sexta-feira (19), Lara Kretzer, médica intensivista e coordenadora da força tarefa da AMIB (Associação de Medicina Intensiva Brasileira) para alocação de recursos escassos, explicou o que compõe o kit e quando é necessário utilizá-lo. Segundo ela, “a falta desses medicamentos inviabiliza o bom cuidado dos pacientes”.

“É um conjunto de medicamentos que precisamos utilizar toda vez que o paciente precisa ser intubado e adaptado ao ventilador mecânico. Isso inclui medicamentos para controlar a dor, sedar e relaxar a musculatura”, explicou.

“Esses medicamentos são importantes durante todo cuidado do paciente, ou seja, durante a intubação, e também depois”.

Oxigênio x intubação

A especialista explicou ainda que em um primeiro momento o paciente diagnosticado com o novo coronavírus pode apenas precisar de oxigênio, que pode se dar por meio de um cateter de oxigênio no nariz ou por meio de máscara. 

“Quando o paciente fica muito grave, ele precisa ser entubado. Essa oferta de oxigênio vai ser feita então através de um respirador, onde o ar rico em oxigênio é entregue ao paciente. Esse ar é soprado dentro do pulmão do paciente por meio de um tubo que está conectado em uma máquina”, esclareceu.

(*Supervisionado por Elis Franco)