Cidade do Rio de Janeiro normaliza aplicação da segunda dose da Coronavac

Capital do estado chegou a ficar sem doses da vacina e imunização foi suspensa

Mylena Guedes*, da CNN, no Rio de Janeiro
17 de maio de 2021 às 22:20
Frasco com Coronavac, vacina contra Covid-19
Frasco com Coronavac, vacina contra Covid-19
Foto: Vincent Bosson/Fotoarena/Estadão Conteúdo (19.mar.2020)

A cidade do Rio de Janeiro zerou a fila das pessoas que estavam com a segunda dose da vacina Coronavac em atraso, nesta segunda-feira (17). 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a capital regularizou o esquema vacinal do imunizante após o recebimento de 90 mil doses do imunizante. 

Na semana passada, a aplicação da Coronavac chegou a ser suspensa no município devido à falta de doses. Cerca de 40 mil pessoas aguardavam a aplicação da segunda dose na capital. Um atraso na produção da vacina feita pelo Instituto Butantan, em São Paulo, provocou a demora na entrega de novos lotes ao Ministério da Saúde.  

Ao longo desta semana a expectativa é que sejam imunizados com a Coronavac quem tomou a primeira dose a partir do dia 19 de abril. 

Novo lote de doses

Durante a madrugada desta terça-feira (18) o Ministério da Saúde vai distribuir mais de 6 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 aos 26 estados e o Distrito Federal. Dessas, 4,7 milhões são da Oxford/AstraZeneca, 1,08 milhão da Coronavac e 647 mil doses são da Pfizer, única com envio para aplicação da primeira dose. 

Segundo dados do planejamento do Ministério da Saúde, cerca de 394 mil doses serão destinadas ao estado do Rio, sendo 57.300 da vacina Pfizer, 174.400 da CoronaVac e 162.400 do imunizante de Oxford/AstraZeneca. Outras 217 mil doses de Oxford/AstraZeneca já foram retiradas pelo Rio. 

Nessa distribuição, as doses do Butantan são destinadas à aplicação da segunda dose, de acordo com as solicitações apresentadas por 12 estados. Outras 15 unidades federativas que não tinham mais pendências para conclusão do esquema vacinal da Coronavac foram atendidas com doses da AstraZeneca para compensação.

*Sob supervisão de Isabelle Resende