Correspondente Médico: Quais os traumas causados por abusos sexuais?

O neurocirurgião Fernando Gomes explica que efeitos neurológicos em mulheres vítimas de violência sexual podem ser 'irreversíveis'

Raphael Florêncio, da CNN, em São Paulo
28 de maio de 2021 às 10:41

Na edição desta sexta-feira (28) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes analisa os traumas gerados em uma pessoa que sofre violência sexual. O neurocirurgião comenta o caso das denúncias de crime de abusos cometidos pelo ex-empresário Samuel Klein, fundador das Casas Bahia.

De acordo com o neurocirurgião, o cérebro pode sofrer um definhamento e, consequentemente, impactar diversas funções neurais.

"Pessoas que sofrem esse tipo de trauma chegam a ter atrofia de 8% a 10% desta região do cérebro, o que acaba impactando no funcionamento da mente e, depois, comprometendo a concentração, o raciocínio e a memória. Não é incomum as pessoas terem flashback em relação ao ocorrido, sensação de baixa valia, auto-estima extremamente comprometida. Você muda o cérebro de forma definitiva da pessoa de uma forma muito triste e, às vezes, irreversível.”

No momento pós-traumático, não é raro que pessoas vítimas de violência sexual desenvolvam problemas psíquicos, depressão e cometam suicídio.

“A estima, a dignidade e o próprio sentimento de entender o significado da vida fica comprometido. Mesmo que a pessoa não tenha tendência genética de apresentar depressão, ela é colocada em uma exposição tão profunda que ela começa a questionar sua própria existência por vergonha, por sensação de 'despertencimento', despersonalização, e acaba enveredando por este caminho.”

As investigações a respeito de Samuel Klein vieram à tona a partir de uma reportagem da Agência Pública. Mulheres denunciam um esquema de aliciamento e exploração sexual.

Traumas causados por abusos sexuais (28 de maio de 2021)
Foto: Reprodução / CNN