Zika vírus pode ser usado no tratamento de tumores cerebrais, aponta pesquisa

Testes feitos em animais por pesquisadores da USP revelaram que o zika vírus é capaz de matar células cancerígenas

Tiago Américo, da CNN, em São Paulo
28 de maio de 2021 às 19:54

 

Testes feitos por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) revelaram que o zika vírus é capaz de matar células cancerígenas de tumores cerebrais. O procedimento se mostrou eficaz em cães com câncer no sistema nervoso central.

A descoberta começou com a professora de genética titular da universidade, Mayana Zatz, que foi ao Nordeste entrevistar e colher material genético de crianças que tiveram microcefalia por conta do vírus. "Nós coletamos amostras de gêmeos não idênticos, em que um teve a microcefalia e o outro não", explica a docente.

"Do laboratório, fizemos linhagens de células neuroprogenitoras e infectamos com vírus da zika. Vimos que, de fato, ele destruía mais as células dos bebês que tiveram microcefalia do que o dos irmãos que não tiveram."

Os próximos passos do estudo, que envolvem a permissão para uso emergencial em alguns pacientes e o início de testes clínicos em humanos, dependem de recursos financeiros do Governo Federal. Porém, por causa da pandemia de Covid-19, a ajuda foi cancelada.

Iniciativa da própria equipe de pesquisa, uma vaquinha online conseguiu arrecadar R$ 147 mil dos R$ 600 mil que são necessários para que os estudos avancem. 

Aedes aegypti, mosquito que transmite dengue, zika, febre amarela e chikungunya
Foto: Raul Santana/ Reprodução Fiocruz