DF reduzirá intervalo de doses da Astrazeneca e da Pfizer para 60 dias

A decisão deve ser anunciada após reunião do Comitê de Vacinação do Distrito Federal. O Ministério da Saúde recomenda um prazo entre as aplicações de 90 dias

Gustavo Uribe e Marília Ribeiro, da CNN em Brasília
12 de julho de 2021 às 12:26 | Atualizado 12 de julho de 2021 às 12:28
Brasil recebe mais vacinas da Pfizer contra a Covid-19
Hoje, o Ministério da Saúde recomenda um prazo entre as aplicações de 90 dias
Foto: Myke Sena/Ministério da Saúde

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal vai reduzir para 60 dias o intervalo entre a aplicação das doses das vacinas contra a Covid-19 da AstraZeneca e da Pfizer.

A redução do prazo foi confirmada à CNN por integrantes do governo do Distrito Federal.  Até o momento, aderiram ao encurtamento do prazo Pernambuco, Acre, Santa Catarina, Tocantins, Espírito Santo e Piauí.

Em nota, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que “o Comitê de Vacinação do Distrito Federal vai se reunir para discutir os detalhes para redução do intervalo entre as doses das vacinas".

Hoje, o Ministério da Saúde recomenda um prazo entre as aplicações de 90 dias. A redução ocorre no momento em que foram identificados no país casos da nova variante Delta, considerada mais transmissível.

Segundo relato feito à CNN, no governo do Distrito Federal há uma discussão de que, no futuro, o intervalo seja reduzido ainda mais, para 30 dias.

O governo de São Paulo chegou a discutir também a redução do intervalo, mas o governador João Doria preferiu, em um primeiro momento, vacinar o máximo de pessoas possível antes de mudar o procedimento dos dois imunizantes.