SC encerrará vacinação de adultos contra a Covid-19 em agosto, diz secretário

À CNN Rádio, André Motta Ribeiro contou que o estado vive queda de mortes e leitos de Covid-19

Bruna Sales, da CNN Rádio, em São Paulo*
16 de julho de 2021 às 16:03
Vacinação contra a Covid-19 em Santa Catarina
Vacinação contra a Covid-19 em Santa Catarina
Foto: Julio Cavalheiro/Secom Governo de SC

O Governo de Santa Catarina tem previsão do término do calendário de vacinação contra a Covid-19 da população adulta para o fim de agosto, segundo o secretário estadual de Saúde, André Motta Ribeiro, em entrevista à CNN Rádio.

Dos cerca de 7,2 milhões habitantes do estado, 5,57 milhões têm idade acima dos 18 anos e já são quase 4,5 milhões de doses aplicadas. Segundo Ribeiro, o estado aguarda decisão do Ministério da Saúde para imunizar os jovens e adolescentes de 12 a 17 anos.

Santa Catarina registrou a menor taxa de ocupação de leitos Covid-19 nos últimos meses, de acordo com a atualização desta quinta-feira (15). Desde fevereiro, a SES não registrava uma taxa de ocupação menor que 80% nestes leitos.

O secretário também confirmou que o estado tem uma média de óbitos em torno de 30, em 295 municípios. “É um indicativo bastante interessante de melhora de cenário, apesar do inverno e de outras doenças pulmonares da região Sul.”

Evento teste

Em 29 de julho, haverá o primeiro evento-teste para avaliar os protocolos sanitários da pandemia no Estado. Segundo a SES, o show da Camerata em Florianópolis será restrito para a população que está completamente vacinada – com as duas doses – contra a Covid-19.

De acordo com o secretário, a ideia é ajudar o setor de eventos, um dos mais afetados pela pandemia, enquanto é feito o monitoramento e acompanhamento do público, para que se entenda o resultado do evento teste e a eficácia das regras propostas.

No entanto, ele fez uma ressalva: “Ainda não é momento pra que consigamos fazer esses movimentos [de grandes eventos liberados para todos os públicos], mas planejar e propor um calendário é justo com esse setor e com a própria sociedade.”

*Com supervisão de Amanda Garcia, da CNN Rádio