Pessoas com 33 anos começam a ser vacinadas em São Paulo nesta terça (20)

Mais de 145 mil moradores desta faixa etária devem ser imunizados contra a Covid-19

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo
20 de julho de 2021 às 04:30 | Atualizado 20 de julho de 2021 às 07:46

A partir desta terça-feira (20), pessoas com 33 anos começam a ser vacinadas contra a Covid-19 na cidade de São Paulo. A expectativa é que mais de 145 mil moradores desta faixa etária sejam imunizados.

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o sistema de escalonamento por idade continua no decorrer da semana. Na quarta-feira (21), será a vez de quem tem 32 anos, e na quinta-feira (22), serão imunizados os moradores que com 31 anos.

"Toda a rede de postos de vacinação da capital está em operação para receber o novo público, além de integrantes dos grupos abertos nas etapas anteriores da campanha que ainda não foram imunizados", informou a prefeitura de São Paulo. 

Segundo a prefeitura, estão em funcionamento os megapostos com acesso a pedestres, drive-thrus e farmácias parceiras, das 8h às 17h. As Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e AMAs/UBSs Integradas operam das 7h às 19h para a campanha de imunização contra a Covid-19.

SP terá nova campanha de vacinação em janeiro

O Estado de São Paulo vai iniciar uma nova campanha de vacinação contra Covid-19 em 17 de janeiro do ano que vem, um ano após a primeira aplicação de um imunizante contra a doença no Brasil, disse nesta segunda-feira (19) o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn. 

"Essa nova fase para a imunização contra a Covid irá se iniciar no dia 17 de janeiro do ano que vem, que foi exatamente o primeiro dia que nós vacinamos o primeiro brasileiro aqui de São Paulo, Monica Calazans", afirmou ele, citando o nome da enfermeira que recebeu a primeira aplicação de uma vacina contra a Covid no Brasil em janeiro deste ano.

Segundo o secretário, a velocidade da vacinação contra o coronavírus no ano que vem será maior do que a da campanha deste ano.

Isso porque, segundo ele, o Instituto Butantan estará, em 2022, com produção 100% nacional de duas vacinas: a coronavac, do laboratório chinês Sinovac, e a butanvac, que está atualmente em fase de testes.