Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Agência dos EUA aprova uso do remdesivir contra Covid em crianças com 28 dias ou mais

    Medicamento é o primeiro aprovado contra a doença para crianças menores de 12 anos no país

    O medicamento Remdesivir, fabricado pela farmacêutica Gilead
    O medicamento Remdesivir, fabricado pela farmacêutica Gilead Foto: Divulgação/Gilead

    Jamie GumbrechtJacqueline Howardda CNN

    A agência reguladora de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) anunciou, nesta segunda-feira (25), que ampliou a aprovação do medicamento remdesivir contra a Covid-19 para tratamento de pacientes com 28 dias ou mais, que pesem pelo menos de cerca de 3,5 quilos.

    Este é o primeiro tratamento contra a doença aprovado para crianças menores de 12 anos no país.

    De acordo com a FDA, para serem consideradas aptas ao tratamento, as crianças devem ser hospitalizadas ou ter Covid-19 de leve a moderada e alto risco de agravamento, mesmo que não sejam hospitalizadas.

    O medicamento, fabricado pela Gilead Sciences e vendido como Veklury, foi aprovado para tratamento de adultos e pacientes com 12 anos ou mais que pesavam pelo menos cerca de 40kg. A administração é realizada a partir de uma injeção.

    “Como a Covid-19 pode causar doenças graves em crianças, algumas das quais não têm atualmente uma opção de vacinação, continua a haver necessidade de opções de tratamento seguras e eficazes para a Covid-19 para essa população”, disse Patrizia Cavazzoni, diretora do Centro de Avaliação e Pesquisa de Medicamentos da FDA, em um comunicado à imprensa.

    “A aprovação de hoje do primeiro terapêutico contra a Covid-19 para essa população demonstra o compromisso da agência com essa necessidade”.

    Não há vacina contra a Covid-19 autorizada para crianças menores de 5 anos nos Estados Unidos. A aprovação do remdesivir pela FDA para crianças pequenas é “ótima”, disse Daniel Griffin, instrutor em medicina clínica e pesquisador associado do Departamento de Bioquímica e Biofísica Molecular da Universidade de Columbia.

    Griffin chamou o remdesivir de “antiviral muito eficaz” na prevenção da progressão da Covid-19 para doença mais grave, diminuindo o risco de hospitalização ou morte, quando administrado no início da infecção.

    “Mais recentemente, os resultados foram divulgados – foi um artigo realmente marcante publicado no New England Journal of Medicine – mostrando que se você administrar remdesivir nos primeiros cinco dias, durante a fase viral aguda, antes de esperar a porta fechar, você poderia prevenir a progressão em quase 90%. Foi de 87% naquele estudo. Portanto, o remdesivir realmente pode ser um antiviral muito eficaz se você o administrar no momento certo no paciente certo”, disse Griffin nesta segunda-feira.

    “Se pudermos estender isso para as crianças e realmente dar a elas durante o momento crítico em que pode fazer a maior diferença, finalmente, estamos realmente abrindo mais opções, porque essas crianças não têm muitas opções”, disse ele. “Elas não têm acesso a algumas das outras terapias restritas a essa faixa etária acima de 12 anos”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original