Antes de 80% de imunizados não é hora de tirar a máscara, diz infectologista

À CNN, Marcos Boulos afirmou que o Brasil está com uma imunidade "relativamente alta", e que as flexibilizações poderiam começar dentro de um mês

Elis Francoda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Cerca de três capitais e outras 14 cidades brasileiras já flexibilizaram o uso de máscaras em locais abertos, de acordo com dados da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

O Rio de Janeiro começou a liberação na quinta-feira (28) e foi a primeira capital brasileira a desobrigar o equipamento de proteção contra a Covid-19. O infectologista Marcos Boulos, professor da Faculdade de Medicina da USP, afirmou neste sábado (30), porém, em entrevista à CNN, que ainda não é o momento adequado para que o uso da proteção seja facultativo no país.

“O ideal é que tenhamos pelo menos 80% das pessoas imunizadas, porque aí você tem a garantia de que o número de casos vai cair acentuadamente, uma vez que a transmissão diminui. Enquanto nós tivermos com o vírus circulando, podem aparecer novas variantes e isso aumentaria novamente o número de infectados.”

Boulos acredita que, neste momento, o Brasil está com uma imunidade “relativamente alta”, e que as flexibilizações poderiam começar dentro de um mês, desde que sejam feitas gradualmente.

“É provável que com mais 15 ou 20 dias, dentro de um mês, nós poderemos começar a liberar o uso de máscaras em ambiente externo. Mas, no ambiente interno, nós vamos ter que manter, porque o vírus continuará circulando, inclusive no ano que vem. A gente só tem garantia de tirar em ambiente fechado quando esse nível de vacinação [for atingido] e quando os índices epidemiológicos mostrarem que a diminuição está tão grande que será possível. Talvez ainda leve alguns meses para isso.”

O infectologista acrescentou que até as festas de final de ano as condições já podem estar mais propícias para as autoridades avançarem nas flexibilizações. Ele também destacou que ambientes com ar-condicionado são menos seguros, uma vez que as pessoas estão próximas, sem janelas e espaços abertos.

“A falta de ventilação faz com que você tenha uma transmissão maior.”

(Publicado por Daniel Fernandes)

Mais Recentes da CNN