Após fracasso, Saúde vai abrir novo pregão de seringas e agulhas mais caras

Ministério quer alcançar a meta de 330 milhões de insumos para preparar a vacinação contra o novo coronavírus

Basília Rodriguesda CNN

O Ministério da Saúde vai abrir novo edital de compra de agulhas e seringas para alcançar a meta de 330 milhões de insumos, dessa vez pagando valores mais altos do que no último pregão.

Na licitação que fechou em 29 de dezembro, os fabricantes de seringas ofertaram menos de 8 milhões de insumos. Uma das principais reclamações foi o preço, que estaria abaixo de mercado.

Leia também:
Mortes por Covid-19 cresceram 65% em dezembro no Brasil
Em cenário otimista, governo avalia ‘dia D’ de vacinação em 23 de janeiro
Indústria acerta com Saúde produção de 30 milhões de seringas até final do mês

Seringa e agulha para vacinação contra o coronavírus
Seringa e agulha para vacinação contra o coronavírus
Foto: Andre Melo Andrade/Immagini/Estadão Conteúdo

Depois de ceder à pressão das empresas, o ministério deu encaminhamento nesta terça-feira a uma tabela de preços reajustados, por meio do Departamento de Logística da pasta.

Trata-se de um novo pregão, novos insumos, além dos 30 milhões de produtos extras com os quais as empresas se comprometeram a vender para o governo nesta terça. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos, as fábricas aguardam o lançamento do edital ainda na primeira quinzena deste mês.

Destaques do CNN Brasil Business
Salários de até R$ 45 mil: Conheça as profissões mais promissoras para 2021
Calendário do INSS 2021: veja datas de pagamento para aposentados e pensionistas
Banco do Brasil anuncia venda de 1,4 mil imóveis com descontos de até 70%