Brasil registra 166 mortes por COVID-19 em 24 horas; total chega a 2.741

Nas últimas 24 horas, foram computados mais 2.498 casos do novo coronavírus, totalizando 43.079 pessoas infectadas no país

Teste da COVID-19
Teste da COVID-19 Foto: Diy13/Shutterstock

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O Brasil registrou 166 mortes por COVID-19 entre segunda (20) e terça-feira (21), segundo balanço divulgado pelo Ministério da Saúde. O total de vítimas no país chega a 2.741.

Nas últimas 24 horas, foram computados mais 2.498 casos do novo coronavírus, totalizando 43.079 pessoas infectadas no país.

Com isso, o Brasil voltou a ter um aumento no número de casos e mortes por dia depois de três dias de queda.

Leia também:

Teich deve rejeitar pedido de governadores do NE sobre médicos estrangeiros

Infectologista ensina a higienizar máscara, roupa, cabelo e quando ir ao médico

Os números divulgados pelo Ministério da Saúde têm como base informações repassadas pelos estados até as 14h de hoje. Veja abaixo a íntegra do balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, com os números por unidade da federação:

Boletim do Ministério da Saúde sobre casos de coronavírus em 21 de abril de 2020
Boletim do Ministério da Saúde sobre casos de coronavírus em 21 de abril de 2020
Foto: Divulgação/Ministério da Saúde

Estados

O estado de São Paulo continua sendo o que tem mais vítimas da COVID-19, com 1.093 mortes, seguido por Rio de Janeiro (461), Pernambuco (260), Ceará (215) e Amazonas (193). Todas as unidades da federação já registraram óbitos devido ao novo coronavírus.

São Paulo também é o estado com mais casos: são 15.385. Depois vêm Rio de Janeiro (5.306), Ceará (3.716), Pernambuco (2.908) e Amazonas (2.270). 

Bahia (1.479), Maranhão (1.396), Minas Gerais (1.230), Pará (1.026), Paraná (1.024) e Santa Catarina (1.063) já passaram do patamar de mil casos. Só Sergipe (92) e Tocantins (37) têm menos de 100 registros de COVID-19.

Testes

Os números de casos e mortes no Brasil tendem a ser maiores, já que a capacidade de testagem para COVID-19 ainda é bastante limitada diante do tamanho da pandemia. O próprio governo reconheceu isso em boletim epidemiológico divulgado no sábado (18).

Ontem (20), o ministro da Saúde, Nelson Teich, disse que o Brasil vai quase dobrar o número de testes para COVID-19, assim como a capacidade de processamento de exames, mas não deu prazos para as medidas.

Em São Paulo, estado mais afetado pela pandemia, o governo disse que o Instituto Butantan quer zerar a fila de exames até amanhã (22).

 

 

Mais Recentes da CNN