Butantan cobra governo por novo lote da Coronavac e alerta sobre falta de vacina

No documento, ao qual a CNN teve acesso, o diretor do Butantan “manifesta preocupação” sobre o prazo

Thais Arbexda CNN

Ouvir notícia

 

O Instituto Butantan, responsável pela produção da Coronavac no Brasil, cobrou uma decisão do governo sobre a compra de um novo lote de 54 milhões de doses da vacina chinesa contra a Covid-19.

Em ofício enviado ao Ministério da Saúde no último dia 21,  o diretor-executivo do Butantan, Rui Curi, diz que se o governo federal deixar para formalizar a compra dessas doses somente em maio, como já foi divulgado, poderá haver “um enorme lapso entre a manifestação de interesse e a entrega das vacinas”. 

 

No documento, ao qual a CNN teve acesso (veja abaixo), o diretor do Butantan “manifesta preocupação” sobre o prazo. “A despeito de haver sido fixado no referido contrato prazo a opção após a entrega da última [parcela] das 45 milhões de doses ao Ministério, venho respeitosamente à presença de vossa excelência para manifestar minha preocupação quanto à eventual formalização de opção somente em maio próximo”.

 

O contrato entre o Butantan e o Ministério da Saúde foi firmado no início de janeiro. O documento prevê o fornecimento de 46 milhões de doses, em quatro entregas até o dia 30 de abril. O acordo também estabeleceu a possibilidade de o órgão federal adquirir do instituto outras 54 milhões de doses, totalizando 100 milhões.

 

Ofício Butantan
Foto: Reprodução

 

Ofício Butantan
Foto: Reprodução

 

Mais Recentes da CNN