Café pode reduzir o risco de morte por AVC e doenças cardíacas, revela estudo

A maneira como você prepara o café também pode afetar os benefícios da bebida para sua saúde

Beber café pode trazer benefícios à saúde, aponta estudo
Beber café pode trazer benefícios à saúde, aponta estudo Foto: Luisa Gonzalez/Reuters

Sandee LaMotteda CNN

Ouvir notícia

Beber até três xícaras de café por dia pode proteger seu coração, é o que concluiu um novo estudo apresentado nesta sexta-feira (27) na reunião anual da Sociedade Europeia de Cardiologia.

Entre as pessoas sem diagnóstico de doença cardíaca, o consumo regular de café de 0,5 a 3 xícaras de café por dia foi associado a uma diminuição do risco de morte por doença cardíaca, derrame e morte precoce por qualquer causa, em comparação aos que não bebiam café.

O estudo examinou o comportamento de consumo de café de mais de 468.000 pessoas que participam do Estudo Biobanco do Reino Unido, que contém informações genéticas e de saúde detalhadas sobre mais de meio milhão de britânicos.

Novas informações e estudos anteriores

Estudos descobriram que beber quantidades moderadas de café pode proteger adultos de diabetes tipo 2, doença de Parkinson, doença hepática, câncer de próstata, Alzheimer, dor nas costas e muito mais.

Quando se trata de doenças cardíacas, uma grande análise de dados de três grandes estudos publicados em abril descobriu que beber uma ou mais xícaras de café por dia estava associado a um risco reduzido de insuficiência cardíaca em longo prazo. Em comparação com pessoas que não bebiam café, a análise descobriu que o risco de insuficiência cardíaca ao longo do tempo diminuiu entre 5% e 12% para cada xícara de café consumida por dia em dois dos estudos.

O risco de insuficiência cardíaca permaneceu o mesmo por não beber café ou tomar uma xícara por dia, segundo o terceiro estudo. Mas quando as pessoas bebiam duas ou mais xícaras de café preto por dia, o risco diminuía em cerca de 30%, descobriu a análise.

“A associação entre a cafeína e a redução do risco de insuficiência cardíaca foi surpreendente”, disse em abril o autor Dr. David Kao, diretor médico da Escola de Medicina da Universidade do Colorado.

“Café e cafeína são frequentemente considerados pela população em geral como ‘ruins’ para o coração porque as pessoas os associam a palpitações, pressão alta, etc.”, Disse Kao em um comunicado.

No estudo de abril, o benefício não se estendeu ao café descafeinado. Em vez disso, a análise encontrou uma associação entre o café descafeinado e um risco aumentado de insuficiência cardíaca.

A insuficiência cardíaca ocorre quando um coração enfraquecido deixa de fornecer às células do corpo sangue suficiente para obter o oxigênio necessário para manter o corpo funcionando adequadamente. Pessoas com insuficiência cardíaca sofrem de fadiga e falta de ar e têm dificuldade para andar, subir escadas ou outras atividades diárias.

“Embora não seja possível provar a causa, é intrigante que esses três estudos sugiram que beber café está associado a uma diminuição do risco de insuficiência cardíaca e que o café pode fazer parte de um padrão alimentar saudável se consumido puro, sem adição de açúcar e laticínios com alto teor de gordura “, disse a nutricionista Penny Kris-Etherton, ex-presidente do Comitê de Liderança do Conselho de Saúde Cardiometabólica e Estilo de Vida da American Heart Association (AHA), em abril. Ela não estava envolvida com a pesquisa.

Um pouco de cautela

Muitos estudos sobre o café são feitos apenas sobre o consumo de café preto. No entanto, adicionar laticínios, açúcares, sabores ou cremes não lácteos pode adicionar muitas calorias, açúcar e gordura, o que pode anular os benefícios do café para a saúde cardíaca, aconselhou a AHA.

A maneira como você prepara o café também pode afetar os benefícios da bebida para sua saúde. O café filtrado pega um composto chamado cafestol que existe na parte oleosa do café. O cafestol pode aumentar o colesterol ruim ou LDL (lipoproteínas de baixa densidade).

No entanto, se você usar uma prensa francesa, uma cafeteira turca ou ferver seu café (como geralmente é feito nos países escandinavos), o cafestol não é removido.

E certas pessoas precisam ser cautelosas com o consumo de café, mostram as pesquisas. Um estudo de 2017 descobriu que beber mais de 4 xícaras por dia durante a gravidez tem sido associado a baixo peso dos bebês ao nascer, parto prematuro e natimortos.

Pessoas com problemas de sono ou diabetes não controlada devem consultar um médico antes de adicionar cafeína em suas dietas, dizem os especialistas. O café também aumenta a probabilidade de fraturas ósseas em mulheres que estão em risco. Nos homens, entretanto, o café não teve esse efeito.

E, finalmente, os benefícios do café não se aplicam às crianças – mesmo os adolescentes não devem beber refrigerantes, cafés, energéticos ou outras bebidas com qualquer quantidade de cafeína, de acordo com a Academia Americana de Pediatria.

(Texto traduzido, leia original em inglês aqui)

Mais Recentes da CNN