Capital paulista começa a usar Pfizer para 2ª dose no lugar de AstraZeneca

Intercambialidade vale para pessoas que tomaram a primeira dose de AstraZeneca e deveriam receber a segunda a partir de 1º de setembro

Agente de saúde prepara injeção de vacina da Pfizer
Agente de saúde prepara injeção de vacina da Pfizer 07/01/2021REUTERS/Lucy Nicholson/File Photo

Rafaela Larada CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

A prefeitura de São Paulo começa a vacinar contra a Covid-19 nesta segunda-feira (13) as pessoas que estão com a segunda dose da AstraZeneca em atraso. A vacina usada será a da Pfizer.

A medida vale para quem recebeu a primeira dose da AstraZeneca e deveria ter receber a segunda dose do imunizante a partir de 1º de setembro.

O anúncio sobre a intercambialidade destes fabricantes de vacinas para a segunda dose aconteceu na última sexta-feira (10).

O governo paulista afirmou que a falta de doses do imunizante da AstraZeneca ocorre por causa de um “apagão do Ministério da Saúde, que deixou de enviar quase 1 milhão de doses ao estado em setembro”.

A secretaria estadual de Saúde entregou aos municípios neste fim de semana 400 mil doses de Pfizer extras, que chegaram nos últimos dias ao estado.

As cidades poderão também aplicar vacinas da Pfizer que eventualmente tiverem em seu estoque.

A prefeitura de São Paulo recomenda que a população acompanhe a disponibilidade de segundas doses dos imunizantes por meio da plataforma De Olho na Fila, que pode ser acessada clicando aqui.

Em nota divulgada nesta sexta-feira, o Ministério da Saúde negou atraso no cronograma de entregas de vacinas da AstraZeneca ao estado de São Paulo.

Segundo a pasta, até o momento foram entregues mais de 9 milhões de imunizantes destinados à aplicação de segunda dose.

*Com informações de Daniel Fernandes, da CNN, em São Paulo

Mais Recentes da CNN