Cidade do Rio de Janeiro flexibiliza regras para presença de público em estádios

Pessoas com esquema vacinal completo não precisarão mais apresentar o teste de Covid-19

Pessoas que já foram totalmente imunizadas contra a Covid-19 não precisarão mais realizar teste de antígeno ou de diagnóstico molecular (RT-PCR) nas últimas 48h antes do evento
Pessoas que já foram totalmente imunizadas contra a Covid-19 não precisarão mais realizar teste de antígeno ou de diagnóstico molecular (RT-PCR) nas últimas 48h antes do evento Tânia Rêgo/Agência Brasil

Iuri Corsinida CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A prefeitura do Rio de Janeiro publicou um decreto nesta sexta-feira (8) flexibilizando as regras para a presença de público em estádios e ginásios do município. A partir de hoje, passa a ser permitida a entrada de torcedores apenas com a apresentação do comprovante do esquema vacinal completo.

Com isso, as pessoas que já foram totalmente imunizadas contra a Covid-19 não precisarão mais realizar teste de antígeno ou de diagnóstico molecular (RT-PCR) nas últimas 48h antes do evento.

De acordo com o decreto da prefeitura “considera-se o esquema vacinal completo pessoas acima de 60 anos, após 14 dias da dose de reforço, e pessoas de 15 a 59 anos, após 14 dias da segunda dose da vacina”.

No entanto, as pessoas que ainda não estão com o esquema vacinal completo, ou seja, com as duas doses, precisam seguir os protocolos que estavam vigentes e apresentar o teste de Covid-19 negativo e o comprovante de vacinação (da primeira dose). Crianças não vacinadas podem ir aos estádios, desde que também façam os testes no prazo estipulado.

A nova determinação já poderá aplicada na partida deste sábado (9), entre Fluminense e Atlético Goianiense, no Maracanã. Até o momento, a prefeitura liberou ocupação máxima de 50% da capacidade de cada estádio ou ginásio.

O Maracanã voltou a ter público no dia 15 de setembro, quando ocorreu o primeiro evento-teste da prefeitura do Rio. Na ocasião, em partida entre Flamengo e Grêmio, pelas quartas de final da Copa do Brasil, a capacidade liberada foi de 35% – uma média de 25 mil pessoas. No entanto, apenas 6.277 ingressos foram vendidos e 6.446 pessoas compareceram.

O segundo evento teste ocorreu quatro dias depois, em partida disputada entre Vasco e Cruzeiro, em São Januário, pela Série B do Campeonato Brasileiro. No dia 22 de setembro, o Flamengo voltou a jogar com público no Maracanã, quando enfrentou o Barcelona do Equador, em jogo da Taça Libertadores da América.

Já na última quarta-feira (6), o Fluminense voltou a receber sua torcida depois de mais de um ano afastada dos estádios. O jogo, no entanto, não foi um evento-teste promovido pela prefeitura. Na ocasião, os torcedores tiveram que seguir uma série de protocolos determinados pelo clube e em consonância com a prefeitura, e precisaram realizar testes de Covid-19 em redes credenciadas pelo Fluminense, com 48h de antecedência.

Os 20 mil ingressos colocados à venda foram comercializados somente pela internet. Depois de adquiridos os ingressos, os torcedores tiveram que apresentar o comprovante de vacinação (sem a necessidade do esquema vacinal completo) além do teste negativo de Covid-19.

“Alinhado aos procedimentos de retomada gradativa e segura de eventos públicos, o Fluminense vinha mantendo contato permanente com a SMS, pleiteando a adoção dos mesmos parâmetros usados pelo estado de São Paulo. A iniciativa do clube teve como objetivo principal reduzir os custos da torcida com a realização de exames e abreviar o trâmite na compra dos ingressos”, disse o Fluminense por meio de nota.

Mais Recentes da CNN