Cidade do Rio depende de novas remessas para manter imunização das crianças

Calendário de vacinação infantil está garantido até o fim de semana

Para dar continuidade à imunização a partir da próxima segunda-feira (24), Secretaria Municipal de Saúde precisa receber mais doses do Governo Federal
Para dar continuidade à imunização a partir da próxima segunda-feira (24), Secretaria Municipal de Saúde precisa receber mais doses do Governo Federal Myke Sena/MS

Isabelle Salemeda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Com a chegada nesta terça-feira (18) de mais 33.950 doses pediátricas da Pfizer à capital fluminense, a Prefeitura do Rio de Janeiro espera cumprir o calendário de vacinação das crianças até o fim da semana. Com isso, o estoque de imunizante seria suficiente para vacinar quem tem até 10 anos.

Depois, pode haver atraso no calendário. O Ministério da Saúde informou que o terceiro lote de vacinas, com 1,8 milhão de doses pediátricas, previsto para chegar na quinta-feira (27) foi antecipado para segunda (24).

“Se chegar na segunda, a gente vai ter que vacinar somente na terça-feira (25). Se conseguirem antecipar e chegar no sábado ou domingo, a gente distribui na madrugada e continua calendário na segunda”, explicou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, que reafirmou a necessidade de o Ministério da Saúde cumprir o planejamento de envio de doses.

Somente nesta segunda-feira (17), primeiro dia da campanha, 18.662 crianças foram vacinadas. Para a imunização dos meninos de 11 anos, na terça, restaram apenas 15.288 doses. O secretário também explicou que a possível liberação da Coronavac para uso em crianças pode ajudar a antecipar o planejamento de vacinação.

“É importante a gente aguardar a aprovação da Anvisa para saber se vai ser a mesma vacina que está sendo aplicada em adultos ou se vai ser uma nova formulação”, disse.

Alto número de internações

A maior preocupação da prefeitura, no momento, é o aumento do número de internações provocado pela variante Ômicron. A ocupação dos leitos na rede pública municipal está em cerca de 60%. Na manhã desta terça-feira (18), 644 pacientes estavam internados com Covid-19, a maioria, sem gravidade.

No entanto, o crescimento da procura nos hospitais fez com que fosse necessário reabrir leitos. “Infelizmente a gente foi obrigado a reabrir leitos no Hospital Ronaldo Gazolla. Já são 150 leitos reabertos neste hospital e caso seja necessário, estaremos reabrindo leitos constantemente, até a nossa capacidade operacional, que são 1.400 leitos”, informou o secretário. ,

Soranz reforçou a importância da vacinação para a prevenção de quadros graves e de óbitos pela doença. “É muito importante que as pessoas tenham consciência coletiva e saibam que elas tem muito mais risco de internar e agravar, se não se vacinar”, disse.

Mais Recentes da CNN