Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Cientistas revelam primeira imagem da variante Ômicron em microscópio

    Fotos divulgadas pela Faculdade de Medicina da Universidade de Hong Kong mostram célula de rim de um macaco infectada pela nova variante

    Célula do rim de macaco danificada após infecção pela Ômicron (esquerda) e visualização da proteína Spike na nova variante (direita)
    Célula do rim de macaco danificada após infecção pela Ômicron (esquerda) e visualização da proteína Spike na nova variante (direita) Faculdade de Hong Kong

    Tiago Tortellada CNN

    Cientistas da Faculdade de Medicina Universidade de Hong Kong (HKU) capturaram pela primeira vez a imagem da variante Ômicron em um microscópio.

    A informação foi divulgada nesta quarta (8), no site da universidade. As fotos mostram uma célula de rim de um macaco infectada com a nova cepa do coronavírus.

    A análise das imagens também possibilita a identificação da proteína “Spike”, estrutura que o vírus usa pra infectar o organismo.

    A Ômicron tem dezenas de mutações nessa proteína, e, por isso, é uma variante de preocupação para a Organização Mundial da Saúde (OMS). As vacinas atuam nessa estrutura do vírus, o que significa que o grande número de alterações pode diminuir a eficácia das vacinas contra essa cepa. Porém, especialistas afirmam que mais pesquisas devem ser feitas para entender o efeito que a variante tem nos imunizantes.

    As fotos divulgadas nesta semana foram feitas pelos professores John Nicholls, do Departamento de Patologia da HKU e Malik Peiris, diretor de virologia da Escola de Saúde Pública da HKU.

    No dia 27 de novembro, pesquisadores do hospital Bambino Gesù, de Roma, divulgaram a primeira representação gráfica da Ômicron.

    De acordo com os cientistas, o grande número de mutações não significa, necessariamente, que a variante é mais perigosa, mas que o vírus está se adaptando à espécie humana.

    As fabricantes de vacina já dizem que os imunizantes poderão ser adaptados para combater a nova variante. A Pfizer anunciou que três doses da vacina neutralizam a nova cepa.

    Reprodução gráfica das variantes Delta e Ômicron, que apresentam inúmeras mutações na proteína Spike / Hospital Bambino Gesù

    Ômicron no mundo

    Especialistas estão pressionando o governo brasileiro para que adote medidas mais duras contra a covid para evitar a disseminação do coronavírus, como o passaporte da vacina.

    Nesta terça-feira (7), o Ministro da Saúde Marcelo Queiroga anunciou que estrangeiros que vierem ao Brasil terão de fazer quarentena de cinco dias. A medida entra em vigor no sábado (11). Aqueles que se imunizaram até 14 dias antes do embarque podem entrar no país sem fazer a quarentena.

    Segundo o levantamento da Agência CNN, pelo menos 58 países já registraram casos da variante Ômicron.

    *com informações de Lucas Rocha e Emylly Alves