Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Sinais Vitais irá discutir doenças associadas à síndrome pós-Covid-19

    Programa desta semana irá mostrar diferentes sequelas que, após a alta hospitalar, acometem pacientes recuperados da infecção pelo novo coronavírus

    Da CNN, em São Paulo

    Ouvir notícia

    No episódio desta semana, o “CNN Sinais Vitais”, apresentado pelo cardiologista Roberto Kalil, vai investigar a chamada síndrome pós-Covid, uma realidade que tem acometido uma série de pacientes após a cura do novo coronavírus. O “CNN Sinais Vitais” vai ao ar às quartas-feiras, às 22h30, logo após o Jornal da CNN, na faixa nobre da CNN Brasil.

    O médico infectologista David Uip participa do episódio e relata a observação de diferentes impactos sofridos pelo organismo de pacientes recuperados da infecção pela Covid-19 (veja trecho exclusivo da entrevista no vídeo acima).

     “Como uma doença viral, ela é multissistêmica, inflamatória e tromboembólica, o que sabíamos da fase aguda se confirmou. Agora a novidade é o pós-Covid, que vai desde sequelas de uma internação prolongada do doente grave a sequelas e complicações que aparentemente não têm a ver com a internação”, afirmou Uip.

    Segundo Uip, antes da liberação do paciente, deve ser realizada uma verificação integral em busca de possíveis sequelas. “A Covid-19 é surpreendente, imponderável e imprevisível. Você não consegue estabelecer em todos o que vai acontecer a seguir”, disse.

    Uip relata a observação de impactos como a miocardite (inflamação do músculo do coração) e sequelas psicológicas e psiquiátricas, como a síndrome do pânico. “Você não pode deixar passar um diagnóstico de miocardite. Se virar um problema crônico, esse indivíduo vai ter que ser acompanhado durante toda a vida. Essa atenção é fundamental nas complicações pós-alta”, reforçou.

    Para o infectologista, as doenças associadas à síndrome pós-Covid-19 poderão levar ao aumento da procura por atendimento e trazer impactos para a saúde pública. “São situações diagnósticas que não se resolvem de uma hora para outra. Esses pacientes vão ter que ser tratados e acompanhados por meses e, provavelmente, anos. A estrutura pública vai ter que se preparar para isso, enfrentar esse pós-Covid com unidades apropriadas e treinadas para isso”, disse.

    O médico infectologista David Uip participa participa do programa "Sinais Vitais
    O médico infectologista David Uip participa participa do programa “Sinais Vitais”
    Foto: Divulgação/CNN

    Relatos de casos e divulgação de estudo

    No episódio “Síndrome pós-Covid: a vida depois do vírus”, o dr. Roberto Kalil vai relatar as histórias e as sequelas sofridas por pacientes. Ele próprio será um desses personagens. O médico conta que teve Covid-19 e que depois da doença não conseguiu mais o mesmo desempenho em seus ensaios com saxofone, devido à falta de fôlego.

    Entre as histórias contadas, os desafios da administradora de empresas Madalena Carvalho que, após sair de uma lanchonete, não se lembrava de ter comido um hambúrguer e ter pagado a conta.

    O programa também irá revelar os detalhes de uma pesquisa inédita, realizada no Incor, segundo a qual, pacientes que tiveram Covid-19 podem sofrer disfunções cognitivas. O trabalho é conduzido pela neuropsicóloga Lívia Stocco Sanches Valentin. A profissional montou um jogo para avaliar e reabilitar a função cognitiva após remissão dos sintomas da Covid-19.

    O “CNN Sinais Vitais” vai trazer ainda um dado alarmante: um estudo da Coalizão Covid-19 Brasil mostra que 25% dos pacientes intubados morrem depois de ter alta.

    Mais Recentes da CNN