Comissão decidirá nesta terça (12) sobre incorporação de remédio contra Covid no SUS

Comissão técnica deve recomendar a aquisição do medicamento, segundo apuração da CNN; se o documento for assinado ainda em abril, a expectativa é que o primeiro lote chegue ao Brasil em maio

Comprimido contra Covid-19 da Pfizer, Paxlovid, embalado
Comprimido contra Covid-19 da Pfizer, Paxlovid, embalado Foto obtida pela Reuters em 16/11/2021 Pfizer/Handout via REUTERS

Ingrid Oliveirada CNN

Ouvir notícia

Está prevista para esta terça-feira (12) a reunião da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias ao SUS (Conitec) que irá avaliar a incorporação do medicamento Paxlovid, da Pfizer, no tratamento do Sistema Único de Saúde (SUS) contra Covid-19. A comissão é vinculada ao Ministério da Saúde.

De acordo com a apuração de Kenzô Machida, âncora da CNN, a pasta aguarda o resultado da reunião para adquirir o Paxlovid para o tratamento de pacientes com a Covid-19.

E somente após esse aval é que o Ministério da Saúde deverá assinar o contrato de compra para aquisição do remédio.

O que é o Paxlovid

O medicamento é composto por comprimidos de nirmatrelvir e ritonavir embalados e administrados em conjunto. A indicação de uso é voltada para o tratamento da Covid-19 em adultos que não requerem oxigênio suplementar e que apresentam risco aumentado de agravamento da doença.

A droga, que é um antiviral, foi aprovada para uso emergencial, em caráter experimental, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 30 de março, e pode ser comprada nas farmácias, mediante apresentação de receita médica.

O medicamento já possui aprovação para uso emergencial nos Estados Unidos, pela Food and Drug Administration (FDA); e na Europa, pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA); além do Canadá, China, Austrália, Japão, Reino Unido e México.

O pedido para uso emergencial foi recebido pela Anvisa no dia 15 de fevereiro. Quem protocolou o requerimento foi a empresa Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda./Pfizer.

De acordo com a Anvisa, o fármaco não está autorizado para uso por mais de cinco dias. Devido à escassez de dados do uso do medicamento em gestantes, deve-se evitar o tratamento em grávidas. O Paxlovid também não é recomendado para pacientes com insuficiência renal grave ou com falha renal.

Incorporação do medicamento no SUS

O órgão responsável por indicar a incorporação de terapias no SUS é a Conitec. Caso o medicamento seja aprovado na reunião, o Ministério da Saúde deve dar aval — e fazer aquisição, antes de disponibilizá-lo na rede pública.

A CNN apurou que a comissão técnica deve recomendar a aquisição do medicamento. Se o documento for assinado ainda em abril, a expectativa é que o primeiro lote chegue ao Brasil em maio.

A quantidade que deve ser adquirida pelo Ministério da Saúde ainda será definida após a aprovação da comissão técnica, mas a estimativa de compra é de 400 milhões a 500 milhões de unidades para atender principalmente o grupo de pacientes com alto risco de contrair a forma grave da doença, mesmo após o esquema vacinal completo.

No começo de abril, o Ministério da Saúde aprovou a incorporação do primeiro medicamento para o tratamento da Covid-19 no SUS, o baricitinibe.

A indicação é para tratamento de pacientes adultos hospitalizados que necessitam de oxigênio por máscara ou cateter nasal.

Com informações de Kenzô Machida e Lucas Rocha, da CNN

Mais Recentes da CNN