Comitiva presidencial cumprirá quarentena após Queiroga testar positivo para Covid

Marcelo Queiroga testou positivo para a Covid-19 enquanto acompanhava a comitiva presidencial para participar da Assembleia-Geral da ONU, em Nova York

Anna Gabriela Costada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia


Cerca de 50 pessoas que fizeram parte da comitiva presidencial em Nova York cumprirão quarentena após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ter testado positivo para a Covid-19, conforme informou a CNN em primeira mão nesta terça-feira (21). As informações sobre o isolamento do grupo foram confirmadas pelo secretário de Comunicação André Costa, nesta quarta-feira (22), em uma entrevista coletiva.

Marcelo Queiroga testou positivo para a Covid-19 enquanto acompanhava a comitiva presidencial nos Estados Unidos, para participar da Assembleia-Geral da ONU, em Nova York. A confirmação foi realizada na noite desta terça-feira, por meio de uma nota enviada pela Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom).

“Como foi comunicado, o ministro foi contaminado pela Covid e permaneceu nos EUA. Em razão dessa informação, a comitiva que acompanhou o presidente da República a essa visita da ONU também foi toda orientada a permanecer seguindo o guia de vigilância epidemiológica, orientados a permanecer em isolamento pelo período previsto”, disse o secretário.

Em entrevista, André Costa informou que toda a comitiva que retornou ao país encontra-se assintomática; ainda assim, permanecerão em isolamento por 5 dias, farão o teste RT-PCR e seguirão sendo monitorados por 14 dias.

“No 5º dia após o último contato com a autoridade, as pessoas serão submetidas a um novo teste de RT-PCR. Sendo negativo esse teste, a pessoa encontra-se então liberada do isolamento e será acompanhada por um médico até o 14º dia. No 14º dia, permanecendo assintomática, está descartado o caso de Covid”, esclareceu Costa.

De acordo com o secretário, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) encontra-se no Palácio do Planalto, totalmente assintomático e seguirá as mesmas recomendações.

Mais Recentes da CNN