Coordenador de testes Pfizer prevê alta quantidade de vacinas no Brasil

Coordenador dos testes da Pfizer no Brasil, Cristiano Zerbini, falou à CNN sobre a aprovação para uso definitivo do imunizante no país

Produzido por Layane Serrano,

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Coordenador dos testes da Pfizer no Brasil, Cristiano Zerbini, afirmou à CNN que, em caso de acordo entre a farmacêutica e o governo federal, a quantidade de imunizantes destinados ao país será alta. Nesta terça-feira (23), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu a autorização de registro definitivo para a vacina contra Covid-19 no país.

“A Pfizer tinha prometido 1,3 bilhã [de vacinas para todo o mundo] em 2021, isso foi aumentado para 2 bilhões e tenho a impressão de que aumentará ainda mais. Então, haverá vacinas disponíveis para os brasileiros. Se houver um acordo, a disponibilidade de vacinas será bem alta”, disse Zerbini.

Em nota, o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, afirmou que a vacina produzida pelo laboratório  Pfizer/BioNTech apresentou segurança, qualidade e eficácia necessárias para a aprovação do imunizantes.

Apesar disso, existe o temor que a vacina cause graves reações alérgicas. Em dezembro, os Estados Unidos reportaram que seis pessoas apresentaram grave reação após receberem o imunizante da Pfizer.

Zerbini disse que esses casos são pontuais e não devem ser considerados para todas as pessoas, exceto quem já têm histórico de alergias graves. “Essas pessoas que tiveram reações alérgicas já tinham um passado de alergia importante, inclusive alergias a outras vacinas”, explicou.

“Recomenda-se que quem tenha histórico de alergia tome a vacina, mas em clínicas, onde existem recursos para ajudar essas pessoas em caso de algum quadro mais importante de alergia”, completou o médico. “Mas de forma geral, não houve nenhum caso importante de efeito grave com a vacina. As vacinas precisam ser tomadas. O único remédio contra a Covid-19 é a vacina.”

Enfermeira com frasco com vacina Pfizer/BioNTech contra Covid-19 no Reino Unido
Enfermeira segura frasco com vacina Pfizer/BioNTech contra Covid-19 na Universidade de Coventry, no Reino Unido
Foto: Jacob King/Pool via Reuters (8.dez.2020)

 

Mais Recentes da CNN