Coronavírus infecta pênis, testículos e próstata de macacos em estudo dos EUA

Evidências de que a infecção pelo SARS-CoV-2 pode afetar negativamente a saúde sexual masculina e a fertilidade aumentam a cada dia

Estudos clínicos sugerem que 10% a 20% dos homens infectados por SARS-CoV-2 apresentam sintomas relacionados à disfunção do trato genital
Estudos clínicos sugerem que 10% a 20% dos homens infectados por SARS-CoV-2 apresentam sintomas relacionados à disfunção do trato genital Getty Images

Lucas Rochada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Descrita inicialmente como uma infecção viral do trato respiratório, a Covid-19 mostrou-se capaz de provocar danos a diferentes órgãos para além dos pulmões, incluindo o coração, os rins e o cérebro.

Um estudo em animais, conduzido por pesquisadores dos Estados Unidos, revelou que o SARS-CoV-2, vírus causador da doença, é capaz de infectar diferentes tecidos do trato genital masculino. A pesquisa com macacos rhesus contaminados mostrou que o vírus atingiu a próstata, os testículos e o pênis.

Para identificar a capacidade de infecção viral, os pesquisadores utilizaram uma técnica de tomografia computadorizada de corpo inteiro dos animais. Embora os cientistas não soubessem o que poderiam encontrar, eles esperavam detectar o vírus em locais como os pulmões e o nariz, devido às características de transmissão da doença.

“Mas o sinal que saltou para nós foi a disseminação completa através do trato genital masculino”, disse o pesquisador Thomas Hope, professor de biologia celular e do desenvolvimento da Northwestern Feinberg School of Medicine, em Chicago, em um comunicado. “Não tínhamos ideia de que o encontraríamos lá”.

Evidências de que a infecção pelo SARS-CoV-2 pode afetar negativamente a saúde sexual masculina e a fertilidade aumentam a cada dia.

No Brasil, um grupo de pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), coordenado pelos professores Paulo Saldiva e Marisa Dolhnikoff, da Faculdade de Medicina, identificou que o novo coronavírus é capaz de invadir todos os tipos de células dos testículos, causando lesões que podem prejudicar a função hormonal e a fertilidade.

Para chegar ao resultado, os especialistas brasileiros realizaram a autópsia dos tecidos testiculares de 11 pacientes, com idade entre 32 e 88 anos, que morreram devido a complicações da Covid-19.

“Vimos por microscopia eletrônica que o coronavírus invadiu todas as células do testículo. O vírus está presente nas células que produzem espermatozoides, chamadas Sertoli, nas células que produzem testosterona, chamadas de Leydig, nos vasos sanguíneos e no arcabouço que dá suporte ao testículo”, explicou o pesquisador e médico andrologista Jorge Hallak, professor da Faculdade de Medicina e coordenador do Grupo de Estudos em Saúde do Homem do Instituto de Estudos Avançados da USP.

Cuidados adicionais na prevenção

O estudo norte-americano mostra como o vírus pode causar impactos na próstata, pênis, testículos e na vasculatura testicular. Os resultados foram publicados em formato preprint, sendo considerados uma pesquisa preliminar até a publicação em um periódico revisado por outros especialistas.

“Esses resultados indicam que a dor testicular, disfunção erétil, hipogonadismo, redução da contagem e qualidade de espermatozoides e diminuição da fertilidade associada à infecção por SARS-CoV-2 são uma consequência direta da infecção das células do trato reprodutivo masculino e não mecanismos indiretos, como febre e inflamação”, disse Hope.

O pesquisador destacou que outros vírus como o Paramyxovirus, causador da caxumba, Ebola, Zika e o o SARS-COV-1 também podem infectar tecidos do trato genital masculino e afetar negativamente a fertilidade. A infecção por caxumba, por exemplo, é amplamente conhecida pela possibilidade de causar esterilidade masculina.

“Mesmo que seja apenas uma pequena porcentagem dos infectados, representa milhões de homens que podem sofrer um impacto negativo em sua saúde sexual e fertilidade”, disse Hope.

Estudos clínicos sugerem que 10% a 20% dos homens infectados por SARS-CoV-2 apresentam sintomas relacionados à disfunção do trato genital. Isso sugere que dezenas de milhões de homens que foram infectados, especialmente aqueles que tiveram Covid-19 grave, devem buscar avaliação médica como medida preventiva.

“O impacto potencial da infecção por SARS-CoV-2 na saúde sexual e reprodutiva deve fazer parte da decisão de todos de se vacinar para minimizar a chance de morte, doença grave e hospitalização e infecção da próstata, pênis, testículos e vasculatura (suprimento sanguíneo) de testículos”, disse o pesquisador.

Mais Recentes da CNN