“Covid-19 é grave independente da variante”, diz cardiologista

À CNN, médica Ludhmila Hajjar falou sobre o aumento no número de internações por causa da variante Ômicron

Anna Gabriela CostaJuliana Alvesda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O aumento no número de internações devido aos casos de Covid-19 vem preocupando médicos desde o surgimento da variante Ômicron no Brasil. À CNN, a médica cardiologista e intensivista Ludhmila Hajjar falou, neste domingo (23), sobre a importância em manter-se alerta em relação aos cuidados com a doença, especialmente pelas próximas semanas, quando o país ainda vive um surto de transmissões.

“Todos achavam que era uma variante mais leve, mas estamos vendo uma variante que está disseminada no Brasil, temos problemas de testagem, a gente imagina que o número seja 3, 4, 5 vezes maior. De cinco semanas para cá, temos internado bastante pacientes com comportamentos parecidos com as variantes anteriores”, alertou a médica.

Ludhmila Hajjr destacou que a variante Ômicron pode não ser tão leve como anunciado logo ao surgimento da cepa, e que a vacinação em massa é a forma mais efetiva de conquistara imunidade de rebanho na população.

“Teremos sobrecarga nos sistemas de saúde. Início da doença parecia ser algo leve, algo como uma gripe, mas o que estamos vendo é que Covid-19 é grave independente da variante. As pessoas vacinadas, que tem duas ou três doses, têm chances menores de internar”, afirmou.

Cuidados básicos ajudam a prevenir a Covid-19 e a gripe:

Mais Recentes da CNN