Covid-19: Estoques de kit intubação estão em níveis críticos, alerta médica

'Temos estoques na maioria dos locais para poucos dias, no máximo 10, 15 dias', disse Suzana Lobo, presidente da Associação de Medicina Intensiva Brasileira

Produzido por Renata Souza, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, Suzana Lobo, médica e presidente da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), afirmou que os estoques de medicamentos para intubação de pacientes com Covid-19 em várias regiões do país ainda “estão em níveis críticos”.

“Os estoques de insumos de analgésicos, sedativos, bloqueadores neuromusculares e de antibióticos estão em níveis críticos. Temos estoques na maioria dos locais para poucos dias, no máximo 10, 15 dias”, disse ela.

“Isso se a gente considerar a demanda [de pacientes] atual. Se vier um grande número de casos, e parece que isso vai acontecer porque tem muitos pacientes em filas, e esses estoques não forem rapidamente controlados por motivos de importação, nós vamos passar por momentos de grande aperto e risco para os cuidados dos pacientes.”

A especialista também falou que, durante a segunda onda da pandemia no país, as medidas de restrições e mobilidade social tiveram um “efeito bom”, achatando as curvas de casos, internações e óbitos. “Mas vimos logo em seguida que essas medidas foram insuficientes e, em muitos locais, foram interrompidas precocemente. Isso em um momento em que a gente tinha um número muito elevado de casos e hospitalizações, ou seja, a taxa de transmissão na comunidade ainda era alta em vários estados”, lembrou Lobo.

“A volta de circulação de pessoas está levando a um novo pico, a uma terceira onda, pegando o sistema de saúde já sob pressão, sem espaço para expandir mais leitos. Estamos em grande risco de ter um cenário bastante preocupante.”

Mais Recentes da CNN