Covid: Funcionários da saúde assintomáticos podem trabalhar na República Tcheca

Decisão de manter trabalhadores infectados no efetivo foi tomada devido à escassez de profissionais com o avanço da variante Ômicron

Idoso recebe terceira dose de vacina contra a Covid-19 em Praga, na República Tcheca
Idoso recebe terceira dose de vacina contra a Covid-19 em Praga, na República Tcheca SOPA Images/LightRocket via Gett

Jan Lopatkada Reuters

Praga

Ouvir notícia

O governo tcheco permitirá que trabalhadores essenciais da saúde que estiverem assintomáticos e testarem positivo para a Covid-19 continuem trabalhando, disse o ministro da Saúde nesta sexta-feira (14).

A decisão tomada pela República Tcheca é mais um dos afrouxamentos das restrições na Europa, onde os países estão procurando formas de manter os serviços essenciais funcionando enquanto a variante Ômicron aumenta o número de casos da doença.

O ministro da Saúde, Vlastimil Valek, disse a jornalistas que o governo espera manejar a onda de infecções pela nova variante, que já levou o número de novos casos diários no país a mais de 10 mil nos últimos dias.

Aqueles que forem obrigados a continuar trabalhando serão permitidos apenas a ir ao trabalho e voltar para casa. Eles irão usar máscaras e comer em locais separados, acrescentou, dizendo que espera que poucas centenas de trabalhadores estejam qualificados sob as novas regras, que devem ser aplicadas apenas quando as condições difíceis exigirem.

“As medidas serão propostas de forma a assegurar que não há risco de infectar o coletivo de funcionários”, ele disse.

O governo já havia exigido testagens nas escolas, e a partir de segunda-feira (17), os trabalhadores deverão se testar duas vezes por semana. Valek prevê que o crescimento de casos diários chegue a 20 mil no início da próxima semana, e possivelmente a 50 mil no final.

O número de pessoas hospitalizadas com Covid-19 está caindo, chegando a 1.912 na quinta-feira (13), de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Valek reiterou que a estratégia do governo é diminuir a velocidade da transmissão da Ômicron na população e evitar a superlotação dos hospitais.

Mais Recentes da CNN