Dados mostram que Covid-19 já é a doença que mais matou no Brasil em 2021

Novo coronavírus foi a maior causa isolada de mortes no país em 2021, e corresponde a 28% do total dos óbitos no ano, de acordo com dados da Arpen

Vital Neto*, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A Covid-19 foi a maior causa isolada de mortes no Brasil em 2021, com 92 mil óbitos, aponta levantamento feito pela CNN com base em dados do Portal da Transparência de Registro Civil da Arpen (Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais) no período de 1º de janeiro a 18 de março. O número corresponde a 28% do total das mortes no ano. 

Dados de anos anteriores do Datasus (Departamento de informática do Sistema Único de Saúde) mostram que, com 272 mil mortes em um ano, a doença seria a principal causa de óbitos no país, quando comparada com a média anual de óbitos por outros motivos.

Somadas, as doenças respiratórias, como a síndrome respiratória e as pneumonias, representam 15% das mortes deste ano, de acordo com os dados da Arpen, enquanto infarto e doenças do coração corresponderam a 12% do total, e AVC e doenças indeterminadas 7%. 

Todas as demais causas de morte – desde as naturais, como diabetes e câncer, até as não naturais, como acidentes de trânsito e homicídios – somadas representaram 29% do total.

Aumento no total de mortes

Ainda de acordo com os dados da Arpen, ao comparar os períodos entre 1º de janeiro a 18 de março de 2019, 2020 e 2021, observa-se um aumento no número total de mortes. Em 2019, foram 234 mil óbitos no período; 245 mil em 2020 e, neste ano, 306 mil.

O aumento em mais de 60 mil óbitos em relação ao mesmo período do ano passado é puxado pelas mortes causadas pela Covid-19, que, segundo a Arpen, já tirou a vida de 85 mil brasileiros no período analisado. 

O número é inferior ao registrado pelo Ministério da Saúde, de 92.550, pois os óbitos podem demorar até 14 dias para serem registrados pelos familiares das vítimas e entrarem no Portal de Transparência do Registro Civil.

Dados de Mortalidade do Datasus

Com 272 mil mortes entre 12 de março de 2020 e 11 de março deste ano, a Covid-19, de forma isolada, supera em quase três vezes a média de mortes por infarto no miocárdio, maior causa de óbitos no país antes da pandemia, que teve média anual de 93 mil mortes entre 2015 e 2019, de acordo com dados de mortalidade do Datasus. 

A doença também superou em três e quatro vezes os óbitos por pneumonia e diabetes, respectivamente, que tiveram médias de 80 e 63 mil mortes por ano no período. Ela supera ainda a média anual de 222 mil mortes por câncer em geral.

Comparando-se com os três tipos de câncer que mais matam, a doença matou quase 10 vezes mais do que o de pulmão, que teve média de 28 mil mortes anuais, e 15 vezes mais do que o câncer de cólon e o de mama, que tiveram médias de 18 mil e 17 mil mortes anuais.

Na comparação com as três doenças infecciosas que mais matam, foram 25 vezes mais do que a Aids (11 mil/ano),  62 vezes mais do que a doença de chagas, (4,4 mil/ano) e 110 vezes mais do que a hepatite viral (2,5 mil/ano). 

Em relação à dengue o número é ainda maior, mais de 400 vezes mais do que a doença, que matou 627 por ano entre 2015 e 2019. 

A Covid-19 também matou quase cinco vezes mais do que a média de mortes por homicídios (58 mil/ano) no período, sete vezes mais do que os acidentes de transporte (36 mil/ano) e 23 vezes mais do que a média de suicídios (12 mil/ano).

*Sob supervisão de Evelyne Lorenzetti e José Brito

Mais Recentes da CNN