Discutir quando vamos parar de usar máscara não faz sentido, diz infectologista

À CNN, pesquisador da Universidade de Nebraska, André Kalil, diz que combinação da vacina com medidas não farmacológicas é a única maneira de parar a circulação do vírus

Produzido por *Renata Souzada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, o médico infectologista e pesquisador da Universidade de Nebraska, André Kalil, afirmou que não é o momento de discutir quando poderemos abandonar o uso de máscara obrigatório.

“Discutir quando nós vamos parar de usar máscaras não faz sentido em lugar do mundo hoje, porque pode ser que seja ano que vem, pode ser que seja daqui há dois anos, daqui há quatro anos. Ninguém sabe. Ficar adivinhando é uma besteira inacreditável porque enquanto a gente fica tentando adivinhar, o vírus vai continuar circulando, e vamos ter uma quarta onda, uma quinta, uma sexta onda, vão ser milhões de pessoas afetadas e que vão sofrer.”

Kalil, que vive nos Estados Unidos, disse que há cerca de dois ou três meses, o país estava “eufórico” com o avanço da vacinação e decidiu liberar que pessoas não usassem o equipamento de proteção, mas a medida teve que ser revertida com a chegada da Delta.

“Uma maravilha, um período maravilhoso. Muita gente se vacinando. A gente teve uma baixa enorme na quantidade de diagnóstico, de novos casos, uma baixa enorme na quantidade de pessoas hospitalizadas. Um período muito bom, mas infelizmente durou muito pouco porque o vírus chegou de uma maneira muito agressiva.”

O infectologista diz que enquanto houver espaço para a circulação do vírus, haverão novas variantes com possibilidade de ondas futuras. Por isso, defende que combinar vacina com máscara e distanciamento é a única saída.

“A gente vai ter que ter uma atitude muito mais forte e agressiva do ponto de vista de utilizar as ferramentas científicas que a gente sabem que funcionam: vacina funciona, máscara e distanciamento funcionam, a combinação de vacina com máscara e distanciamento certamente vai ser a única maneira da gente conseguir atingir essa imunidade de rebanho.”

André Kalil, médico infectologista e pesquisador da Universidade de Nebraska (22-08-2021) / CNN / Reprodução

*(sob supervisão de Elis Franco)

Mais Recentes da CNN