Estamos correndo contra o tempo para evitar novo colapso, diz especialista

Diante da alta do número de casos de Covid-19 causada pela variante Ômicron, o médico Miguel Nicolelis alertou para situação dos sistemas de saúde

Juliana Alvesda CNNRenata Souzada CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

Em uma semana, o Brasil mais que duplicou a média móvel de casos de Covid-19 registrados no país. Segundo dados do Conass, no último domingo (16), a média estava em 68.107, enquanto no domingo anterior o dado era de 32.954.

No dia em que o país completa um ano desde o início da vacinação contra a Covid, o médico e neurocientista Miguel Nicolelis afirmou, em entrevista à CNN, que “estamos em uma situação ambígua: temos uma vacinação que progrediu, mas que precisa progredir mais (…), ao mesmo tempo em que estamos correndo contra o tempo para evitar o novo colapso de saúde pela explosão de casos da variante Ômicron“.

Segundo o especialista, apesar de “a melhor notícia de 2021 ter sido a vacinação”, o Brasil não soube aproveitar o período de baixa na taxa de transmissão para se preparar para a chegada da variante Ômicron.

Agora, segundo Nicolelis, “estamos na fase ascendente de uma terceira onda”.

Mesmo com a alta dos casos, o médico ainda afirmou que temos carência de dados. “Sabemos que a subnotificação é muito grande, porque faltam testes no Brasil e dados confiáveis. Estamos há mais de um mês padecendo com dados parciais de difícil previsão”, disse.

Em relação ao uso de máscaras, o especialista alertou para a dificuldade de convencer a população de lugares em que o uso do equipamento havia sido flexibilizado a voltar a usá-las.

“Nós temos que usar máscara em todos os lugares. E não é qualquer máscara, nós temos que usar, no mínimo, as máscaras cirúrgicas ou as máscaras que dão proteção acima de 90%“, explicou Nicolelis.

*Sob supervisão de Rafaela Lara

Mais Recentes da CNN