Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Estudos sugerem que adolescentes enfrentam “epidemia” de problemas com sono

    Questões com horários, uso da tecnologia e estresse estão entre os fatores que atrapalham a quantidade de horas dormidas dessa população

    Mulheres que têm insônia podem ter risco maior de desenvolver doenças cardiovasculares, segundo estudo
    Mulheres que têm insônia podem ter risco maior de desenvolver doenças cardiovasculares, segundo estudo Andisheh A/Unsplash

    Matt Villanoda CNN

    Os adolescentes americanos não dormem o suficiente nos dias de hoje, e a autora Lisa L. Lewis se recusa a ignorar o assunto.

    Lewis, mãe de dois filhos, ajudou a criar a primeira lei do país exigindo horários saudáveis ​​de início da escola para adolescentes – uma lei que será posta em ação na Califórnia no final deste verão.

    Seu próximo livro, “Adolescentes privados de sono: por que nossos adolescentes estão tão cansados e como os pais e as escolas podem ajudá-los”, será lançado em 7 de junho e detalha muitas coisas que pais e cuidadores precisam saber sobre adolescentes e sono.

    Lewis compartilhou por que o sono é tão importante para os adolescentes, quanto sono os adolescentes devem dormir e por que eles precisam dormir mais do que os adultos.

    Ela aborda todos os fatores que podem afetar negativamente o sono dos adolescentes: tecnologia, gênero, identidade sexual e status socioeconômico, para começar com alguns.

    A CNN conversou recentemente com Lewis para discutir seu trabalho e aprender mais sobre como pais e cuidadores podem dormir mais para seus filhos.

    CNN: O que o levou a escrever um livro sobre adolescentes e sono?

    Lisa Lewis: Toda a questão do sono dos adolescentes e dos horários de início da escola atingiu meu radar quando meu filho mais velho, que agora está na faculdade, entrou no ensino médio. Nesse ponto, a escola começava às 7h30 e eu sabia que era muito cedo. Eu o estava levando para a escola naquele momento, e todas as manhãs eu olhava e via que ele não estava muito acordado. Todas as tardes ele voltava para casa realmente exausto.

    Eu queria saber por que a escola começava tão cedo. O que eu descobri foi que eu tinha tocado em um problema muito maior. Nesse mesmo mês, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA divulgaram um relatório de base sobre os horários de início das aulas, que veio logo após a declaração de política da Academia Americana de Pediatria sobre o mesmo assunto. Suas recomendações eram que o ensino regular e o ensino médio não deveriam começar antes das 8h30. Foi isso que me envolveu.

    CNN: Então, por que os adolescentes precisam de tanto sono?

    Lewis: No início da puberdade, os adolescentes têm uma mudança no ritmo circadiano e seus relógios biológicos mudam para um horário posterior. Também se conecta à liberação de melatonina, que é o que prepara nossos corpos para dormir.

    Quando as crianças se tornam adolescentes, a melatonina começa a ser liberada mais tarde do que costumava. Isso significa que os adolescentes não estão prontos para adormecer até as 23h. Porque a mesma melatonina não retrocede até mais tarde, os adolescentes acabam querendo dormir mais do que costumavam. Assim, eles dormem mais.

    CNN: Quantas horas sono os adolescentes devem ter?

    Lewis: A maioria dos adolescentes deve dormir entre oito e 10 horas, de acordo com a Fundação Nacional do Sono (EUA). A quantidade de sono que precisamos ao longo de nossa vida muda, no entanto. Quando você olha para crianças de até 13 anos – então, pré-adolescentes – elas precisam de nove a 11 horas. O intervalo recomendado para adultos é de sete a nove horas.

    Existem alguns adolescentes e adultos para quem menos do que a quantidade prescrita será bom. Há também alguns adolescentes para quem 10 horas será o que eles precisam. Infelizmente, muitos de nossos adolescentes não têm nem o mínimo de oito horas.

    Dados do CDC indicam que em 2007, apenas 31% dos adolescentes dormiam oito horas ou mais. Em 2019, esse número caiu para 22%. Estamos em uma epidemia de privação de sono entre adolescentes.

    CNN: Quais são as consequências de os adolescentes não dormirem o suficiente?

    Lewis: O sono para adolescentes é um amortecedor emocional e proporciona resiliência emocional. A população nesta faixa estária está passando por uma grande fase de desenvolvimento do cérebro, e o sono é onde muito desse desenvolvimento acontece.

    Na sala de aula, os alunos que dormem durante explicação não estão aprendendo. Os alunos que estão lá e não totalmente acordados não estão aprendendo bem. A privação do sono limita os alunos de adquirir informações, impede a retenção das informações e dificulta a capacidade de recuperar essas informações.

    Vários estudos indicaram que, quando as escolas mudam para horários de início mais tardios, elas observam melhorias na frequência e as taxas de graduação aumentam.

    Com esportes, o sono melhora o desempenho; Além disso, os corpos dos adolescentes liberam o hormônio do crescimento, que cura a lesão quando eles dormem, portanto, estar bem descansado é uma vantagem competitiva.

    Em geral, adolescentes bem descansados ​​são mais felizes e saudáveis ​​e se saem melhor na escola. Eles são emocionalmente mais resilientes. E eles são mais fáceis de conviver.

    CNN: Além dos horários, quais são outros fatores externos que podem atrapalhar o sono dos adolescentes?

    Lewis: O estresse é enorme. Se seus filhos não conseguem dormir antes das 23h, você precisa verificar se eles estão sobrecarregados ou com excesso de horários. A tecnologia é outro fator. Se você tem um adolescente que fica acordado até 1h ou 2h jogando videogame, isso também está diminuindo o tempo de sono. Existem outros fatores. Cólicas menstruais podem afetar o sono.

    Sabemos que adolescentes de minorias sexuais e de gênero dormem pior do que seus colegas, assim como adolescentes negros. Também existem outros fatores, como viver em ambientes lotados, ou onde é barulhento ou onde os adolescentes não se sentem seguros, que podem afetar o sono.

    CNN: Como você acha que o caos dos anos de pandemia afetou o sono dos adolescentes?

    Lewis: Acho que o maior problema é a saúde mental. Vimos todos os principais grupos soando alarmes sobre a saúde mental dos adolescentes. Em dezembro, o Surgeon General dos EUA emitiu um aviso especial sobre a saúde mental dos adolescentes. O CDC divulgou novos dados no mês passado mostrando que a saúde mental piorou em adolescentes.

    CNN: Como os pais e cuidadores podem convencer os adolescentes de que precisam dormir mais?

    Lewis: Ensinar a eles não tem o efeito esperado. Ter uma conversa é mais útil, especialmente se for uma conversa contínua. Modele bons comportamentos, como não usar tecnologia dentro de uma hora antes de dormir. Ensine-os sobre coisas como uma rotina de relaxamento. Nossos cérebros não são como computadores – você não apenas desliga, bate no travesseiro e vai dormir. Uma coisa que é importante é não forçar nada disso.

    CNN: Em que ponto seu projeto se expandiu para ajudar aos necessitados?

    Lewis: Eles andaram de mãos dadas. Depois que esses grandes relatórios saíram, escrevi um artigo de opinião para o Los Angeles Times no outono seguinte sobre por que as escolas deveriam começar mais tarde pela manhã.

    Esse artigo foi lido pelo senador do estado da Califórnia, Anthony Portantino, que também o tinha em sua pauta. Ele começou a investigar e apresentou um projeto de lei sobre os horários de início das aulas em fevereiro de 2017.

    Entrei em contato com uma organização sem fins lucrativos nacional chamada Start School Later e iniciei um projeto local. À medida que o projeto avançava, acabei depondo diante da comissão estadual de educação. Foi um processo demorado que culminou com o governador Gavin Newsom assinando o projeto de lei em 2019.

    CNN: Por que essa nova lei é significativa?

    Lewis: A nova lei entra em vigor em 1º de julho, e é a primeira desse tipo no país a exigir horários saudáveis ​​de início das aulas para ensino médio. Ela especifica que, para escolas públicas regulares, os horários de início não podem ser antes das 8h e, para as escolas de ensino médio, os horários de início não podem ser antes das 8h30.

    Leis semelhantes em outros lugares provaram ser bem-sucedidas. Até este ponto, a maior cidade a mudar seus horários de início é Seattle; eles fizeram isso em 2016. A cidade fez todas essas pesquisas antes e depois dessa mudança, e eles descobriram que os alunos tiveram 34 minutos extras de sono nas noites de escola quando os horários de início foram adiados. Aquilo é enorme.

    CNN: Quais são as grandes perguntas que você fará a seguir?

    Lewis: Até agora, a Califórnia é o único estado que promulgou uma lei desse escopo. Isso deixa bastante espaço para trabalhar com outros estados por aí.

    A partir de agora, tanto Nova York quanto Nova Jersey têm projetos de lei ativos sobre esse assunto, mas nenhum outro estado aprovou uma lei como essa. Há uma tremenda oportunidade de fazer isso em todos os outros estados; a privação do sono dos adolescentes não é apenas um problema da Califórnia. Isso é algo que vou focar bastante.

     

     

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original