Hospital Federal no Rio suspende serviço de emergência por falta de profissionais

Com cerca de 45% dos funcionários com a Covid-19, direção do Cardoso Fontes, na Zona Oeste, fechou o setor de emergência

Hospital Federal Cardoso Fontes (HFCF)
Hospital Federal Cardoso Fontes (HFCF) Fernando Frazão/Agência Brasil

Isabelle Resendeda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O alto número de profissionais de saúde contaminados pela variante Ômicron levou a direção do Hospital Federal Cardoso Fontes, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, a suspender o atendimento na emergência da unidade.

A CNN teve acesso ao documento enviado pela direção à Superintendência do Ministério da Saúde no Rio. A decisão foi atender apenas os pacientes com risco iminente de morte. A decisão foi tomada após reunião da direção do hospital com os chefes de serviço do Cardoso Fontes.

Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que os pacientes em estado grave continuam sendo atendidos na emergência do Hospital Federal Cardoso Fontes. E que assim que os profissionais retornarem do período de afastamento, o atendimento do setor de emergência será normalizado.

Pelo menos 45% dos funcionários, 152 profissionais de saúde, entre médicos e enfermeiros, foram afastados por contaminação com a Covid-19. Além disso, cerca de 40 pacientes também testaram positivo para a doença.

Nos hospitais da rede estadual, cerca de 20% dos profissionais de saúde tiveram que ser afastados depois de testarem positivo para doença. Devido à baixa no número de médicos e enfermeiros, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e o Conselho de Secretarias municipais de Saúde do Rio de Janeiro decidiram suspender todas as cirurgias eletivas nas unidades da rede pública, a partir desta segunda-feira (17).

Outro fator que contribuiu para a decisão foi a redução do número de doações de sangue. Além disso, a medida, segundo a secretaria, também tem como objetivo evitar a contaminação por Covid-19 de pacientes e profissionais.

Mais Recentes da CNN