Ministério da Saúde pede à Economia isenção para importar agulhas e seringas

Solicitação foi feita por ofício encaminhado em 30 de dezembro pelo secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco Filho

Igor Gadelhada CNN

Ouvir notícia

 

Em uma nova frente para tentar garantir os insumos para vacinação contra Covid-19 no Brasil, o Ministério da Saúde pediu à pasta da Economia que conceda isenção de impostos para importação de agulhas e seringas.

A solicitação foi feita por ofício encaminhado em 30 de dezembro pelo secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco Filho, à Secretaria Especial de Comércio Exterior do Ministério da Economia.

Leia também:
Governo proíbe exportação de seringas e agulhas
Governo aposta em vacina de Oxford para uso emergencial
São Paulo volta à fase amarela nesta segunda-feira (4); veja o que muda

Fachada Ministério da Saúde
Fachada do Ministério da Saúde
Foto: Divulgação

“Considerando as ações essenciais ao combate à pandemia da Covid-19 no Brasil, solicito análise acerca da possibilidade de conceder isenção de impostos para as importações de agulhas e seringas, considerando tal ação fazer parte das medidas necessárias à fase de vacinação contra o coronavírus”, diz Franco no ofício, ao qual a CNN teve acesso.

A expectativa na pasta comandada pelo general Eduardo Pazuello é de que o time de Paulo Guedes conceda isenção temporária de impostos para a importação dos insumos necessários para vacinação.

Segundo fontes da equipe econômica, o pedido deve ser analisado em uma reunião extraordinária nesta terça-feira (5) do Comitê-Executivo de Gestão da Camex, a Câmara de Comércio Exterior do Ministério da Economia.

Ainda na semana passada, também a pedido da Saúde, o Ministério da Economia editou portaria proibindo a exportação de seringas e agulhas enquanto durar o estado de emergência em razão da pandemia.

Ministério da Saúde pede à Economia isenção para importar agulhas e seringas
Ministério da Saúde pede à Economia isenção para importar agulhas e seringas
Foto: CNN Brasil

 

No ofício, ao qual a coluna também teve acesso, a Saúde cita o fracasso no pregão da semana passada, quando a pasta só conseguiu oferta para 7,9 milhões das 331 milhões de seringas e agulhas que tenta comprar.

A eventual isenção para importação deve ajudar na aquisição dos insumos, pois o Brasil costuma muito mais comprar seringas e agulhas de empresas estrangeiras do que vender para outros países.

Destaques do CNN Brasil Business
Perspectivas 2021: O dólar pode voltar para a casa dos R$ 4? Depende do governo
Mapa do Emprego: Veja quais os setores em alta e como ficam os salários em 2021
Kalunga, Tok&Stok, Big: lista de empresas que querem entrar na B3 só aumenta

Dados obtidos pelo analista Fernando Nakagawa mostram que, até meados de dezembro, o Brasil havia exportado cerca de 4,3 milhões de dólares desses insumos em 2020 e importado 50 milhões de dólares.

Mais Recentes da CNN