Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ministro da Saúde chega ao MA para acompanhar medidas contra variante da Índia

    Marcelo Queiroga irá se encontrar com autoridades locais; ministério enviou 600 mil testes de Covid-19 ao Maranhão

    Da CNN, em São Paulo

    Ouvir notícia

     

    O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, chegou ao Maranhão na tarde deste domingo (23) para acompanhar a adoção de medidas de contenção da variante originária da Índia do novo coronavírus. Ele deve se encontrar com autoridades locais para debater as ações.

    O ministério enviou 600 mil testes rápidos de antígeno de Covid-19 para o Maranhão. O objetivo é aplicação os testes em pontos estratégicos do estado, como portos, aeroportos, terminais rodoviários e rodovias. 

    A presença da nova cepa, a B.1.617.2, foi descoberta no Brasil na quinta-feira (20), quando seis casos foram detectados entre 24 tripulantes do navio MV Shandong Da Zhi, que veio da China e está em isolamento no Maranhão.

    Dois seis pacientes infectados, um foi intubado depois da uma piora no quadro clínico.

    O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), disse em entrevista à CNN no sábado (22) que não há indicativo de transmissão local da cepa.

    Na última semana, o governo federal decidiu proibir voos internacionais com origem ou passagem pela Índia, país que enfrenta uma crise decorrente de uma alta recorde de casos e mortes por Covid-19. 

    Em entrevista à CNN neste domingo (23), a pneumologista e pesquisadora da Fiocruz, Margareth Dalcolmo, disse não estar otimista em relação à capacidade do Brasil de conter a variante originária da Índia, detectada no Maranhão. “Eu não creio [que vamos controlar]. Acho que é só uma questão de tempo e nós vamos descobrir a variante da Índia circulando em outros locais, é muito difícil conter.”

    O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, é ouvido em sessão da CPI da Pandemia
    O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga
    Foto: Jefferson Rudy – 6.mai.2021/Agência Senado

    Mais Recentes da CNN