Molica: Só não vacinamos mais crianças porque não temos mais vacinas

No quadro Liberdade de Opinião desta terça-feira (18), o comentarista Fernando Molica analisa o início da vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra Covid-19 no Brasil

Gabriel Fernedada CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta terça-feira (18), o comentarista Fernando Molica analisou o início da vacinação de crianças que tenham entre 5 e 11 anos de idade contra a Covid-19.

Natal (RN), Boa Vista (RR) e Teresina (PI) iniciam a vacinação de crianças destas faixas etárias neste terça. Agora, 24 capitais já estão com a vacinação infantil em andamento. Porto Alegre começará a vacinar crianças na quarta (19), Palmas programou o início da imunização para a quinta (20) e Cuiabá abriu o cadastro para as crianças na segunda (17), mas não informou quando o imunizante será aplicado.

Para Molica, o início da vacinação de crianças é bom, e só não são vacinadas mais crianças nesse começo porque ainda não há doses suficientes para todas.

Só não vacinamos mais crianças porque não temos mais vacinas, senão já estaríamos vacinando mais. Programa de vacinação sempre foi um orgulho brasileiro, começou na ditadura e isso foi mantido e ampliado.

Molica defendeu que escolas e universidades utilizem o passaporte de vacina para a proteção de todas as crianças e funcionários.

Vai gerar uma situação delicada em sala de aula. Crianças vacinadas convivendo com não vacinadas. Existe uma decisão do STF que permite que escolas e universidades exijam vacinação. Comprovante de vacinação é uma segurança para todo mundo. Isso pode e deve ser feito”, afirmou.

Por fim, o comentarista criticou a ausência de dados oficiais da pandemia no Brasil por parte do Ministério da Saúde.

É complicado quando se fala em número. A última atualização no painel do Ministério da Saúde foi em 9 de dezembro, há mais de um mês. Mais de um mês sem dados oficiais da pandemia no Brasil. Esse apagão de dados é inacreditável.

Investigação na Petrobras

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) abriu investigação para apurar se houve abuso da Petrobras nos aumentos recentes dos preços dos combustíveis. O inquérito foi aberto com base em notícias e documentos públicos sobre os reajustes. Em entrevista à CNN, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, defendeu a investigação e disse que a pasta não controla a política de preços da estatal.

Recorde de desmatamento

Em 2021, a Floresta Amazônica ultrapassou o recorde de desmatamento dos últimos dez anos. De janeiro a dezembro, mais de 10 mil quilômetros quadrados de mata nativa foram destruídos – o equivalente a metade do estado de Sergipe. A CNN entrou em contato com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, que preside o Conselho Nacional da Amazônia Legal, mas não obteve resposta.

Um ano de vacinação

A campanha de vacinação contra a Covid-19 no Brasil completou um ano na segunda-feira (17). Após longa novela envolvendo a compra de imunizantes, o país conta com quase 70% da população vacinada com duas doses ou dose única, o que mudou o cenário da pandemia com queda de casos graves, internações e mortes pela doença.

O Liberdade de Opinião teve a participação de Fernando Molica e Boris Casoy. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN