Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    OMS recomenda medicamento injetável de ação prolongada para a prevenção do HIV

    Medicamento cabotegravir é uma forma de profilaxia pré-exposição ao HIV (PrEP) injetável intramuscular de ação prolongada

    De acordo com a OMS, os produtos injetáveis ​​de ação prolongada também foram considerados preferidos em estudos
    De acordo com a OMS, os produtos injetáveis ​​de ação prolongada também foram considerados preferidos em estudos Catherine Falls Commercial/Getty Images

    Lucas Rochada CNN São Paulo

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou, nesta quinta-feira (28), novas diretrizes da profilaxia pré-exposição (PrEP) ao HIV.

    As recomendações incluem o uso de um medicamento injetável de longa ação, chamado cabotegravir (CAB-LA), como medida de prevenção à infecção. Segundo a OMS, o medicamento se mostrou uma opção segura e altamente eficaz para pessoas em risco significativo de contágio pelo HIV.

    A OMS alerta que os esforços para a prevenção do HIV estagnaram em 2021, quando foram registradas 1,5 milhão de novos infecções – o mesmo índice do ano anterior.

    Segundo a OMS, houve 4.000 novas infecções todos os dias em 2021, sendo que 70% dos casos foram registrados em populações-chave, incluindo profissionais do sexo, homens que fazem sexo com homens, pessoas que usam drogas injetáveis, indivíduos em prisões, pessoas trans, bem como parceiros sexuais dessas populações.

    “O cabotegravir de ação prolongada é uma ferramenta de prevenção do HIV segura e altamente eficaz, mas ainda não está disponível fora dos ambientes de estudo”, disse Meg Doherty, diretora dos Programas Globais de HIV, Hepatite e Infecções Sexualmente Transmissíveis da OMS.

    “Esperamos que essas novas diretrizes ajudem a acelerar os esforços dos países para começar a planejar e entregar o CAB-LA juntamente com outras opções de prevenção do HIV, incluindo a PrEP oral e o anel vaginal dapivirina”.

    O cabotegravir é uma forma de PrEP injetável intramuscular de ação prolongada, com as primeiras duas injeções administradas com quatro semanas de intervalo, seguidas por uma injeção a cada oito semanas.

    O medicamento mostrou-se seguro e altamente eficaz entre mulheres cisgênero, homens cisgênero que fazem sexo com homens e mulheres trans que fazem sexo com homens em dois ensaios clínicos.

    Juntos, esses estudos de referência descobriram que o uso do fármaco resultou em uma redução relativa de 79% no risco de HIV em comparação com a PrEP oral, onde a adesão à medicação oral diária se mostrou um desafio.

    De acordo com a OMS, os produtos injetáveis ​​de ação prolongada também foram considerados aceitáveis ​​e, às vezes, preferidos em estudos que examinam as preferências da PrEP entre a comunidade.

    Esforço conjunto

    Uma nova coalizão busca acelerar o acesso global ao cabotegravir. Convocada pela OMS, Unitaid, UNAIDS e The Global Fund, o esforço vai identificar as intervenções de mercado necessárias para promover o acesso de curto e longo prazo ao CAB-LA, estabelecer financiamento e aquisição do medicamento, fornecer apoio à implementação de programas globais de prevenção do HIV e emitir orientações sobre políticas.

    “Para atingir as metas de prevenção da ONU [Nações Unidas], devemos pressionar por um acesso rápido e equitativo a todas as ferramentas de prevenção eficazes, incluindo a PrEP de ação prolongada”, disse Rachel Baggaley, líder da equipe de testes, prevenção e populações dos programas globais de HIV, hepatite e IST da OMS.

    “Isso significa superar barreiras críticas em países de baixa e média renda, incluindo desafios e custos de implementação”, completa.