Pais devem estar atentos no momento da imunização de crianças, diz médico da SBIm

Frasco da vacina será da cor laranja e dosagem menor; Anvisa autorizou nesta quinta-feira uso da vacina da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos no Brasil

João de Marida CNN*

Em São Paulo

Ouvir notícia

Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar o uso da vacina contra a Covid-19 da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos no Brasil, o presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Juarez Cunha, afirmou à CNN nesta quinta-feira (16) que os pais devem estar atentos no momento da imunização.

A dosagem da vacina para esta faixa etária será ajustada e menor (um terço) que aquela utilizada por maiores de 12 anos. Segundo a Anvisa, a proposta é ter frascos diferentes, com dosagem específica para cada grupo. Os frascos serão diferenciados pela cor: roxa para adultos e laranja para crianças.

“A vacina tem composição diferente, a dose e o intervalo difere [em comparação aos adultos]. Vai ser fundamental a capacitação da nossa rede, e claro que temos que chamar atenção para os pais no momento da imunização”, disse Cunha.

“A vacina que a gente tem no país atualmente não é liberada para uso em crianças, ela é de tampa roxa, que só é ministrada partir de 12 anos.”

Como o Brasil ainda não tem as doses da tampa laranja, ou seja, as ajustadas para crianças, não há previsão de quando a imunização vai começar. Prazo deverá ser definido pelo Ministério da Saúde.

Segundo o médico, grande parte dos eventos adversos — reações após vacinação —, são relacionados a erros programáticos, que são aqueles que ocorrem em função do não cumprimento da norma técnica, como erro na dosagem ou erro de vacinas.

“Quando as pessoas veem os números de eventos adversos, cerca de 60% são de erros programáticos. As sociedades científicas participaram das reuniões com a Anvisa, e todos os dados mostram que a vacina é segura e eficaz. Temos como proteger nossas crianças”, ressaltou.

Para o presidente da SBIm, uma possível logística para vacinar crianças no país seria criar “uma sala separada de vacinação de Covid para crianças para não ter risco de aplicar a vacina ou dose errada”.

Uso da Pfizer no Brasil

A vacina da Pfizer é um dos quatro imunizantes contra a Covid-19 aplicados no Brasil, além da AstraZeneca, Coronavac e Janssen – sendo o único com autorização para uso em crianças e adolescentes.

A vacina está registrada no país desde 23 de fevereiro. No registro inicial estavam contemplados indivíduos com mais de 16 anos. No dia 11 de junho, a Anvisa autorizou a inclusão da faixa etária de 12 a 15 anos.

Como funcionam os pedidos de inclusão de faixas etárias

Para que uma nova faixa etária seja incluída na indicação da bula de uma vacina no Brasil, o laboratório produtor do imunizante deve realizar a solicitação junto à Anvisa.

O laboratório precisa conduzir e apresentar estudos que demonstrem a relação de segurança e eficácia da vacina para esta nova faixa etária.

De acordo com a Anvisa, os principais pontos de atenção em relação ao público infantil são os dados de segurança e eventos adversos identificados, ajustes de dosagem da vacina e fatores específicos dos organismos das crianças em fase de desenvolvimento.

O prazo de avaliação da solicitação pela Anvisa é de até 30 dias.

(*Com informações de Lucas Rocha, da CNN, em São Paulo)

Mais Recentes da CNN