Pessoas com enxaqueca têm menos sono de qualidade, aponta estudo

O sono REM, sigla para movimento rápido dos olhos em inglês, é fundamental para o pensamento e a memória

Esgotamento pode estar relacionado à má alimentação e falta de sono adequado
Esgotamento pode estar relacionado à má alimentação e falta de sono adequado Getty Images/Westend61

Kristen Rogersda CNN

Ouvir notícia

Pessoas com enxaqueca podem ter uma duração menor do estágio do sono fundamental para o pensamento e a memória, de acordo com uma nova pesquisa.

O sono REM (sigla para movimento rápido dos olhos em inglês) é o ponto ideal dos nossos ciclos de sono, caracterizado por mais sonhos, movimentos corporais, ritmo cardíaco e respiração mais rápidos do que em outros estágios do sono.

Em uma meta-análise de 32 estudos, adultos e crianças com enxaqueca se mostraram mais propensos do que pessoas saudáveis ​​sem enxaqueca a dormir com menos qualidade. Os resultados da meta-análise foram publicados na quarta-feira (22) no periódico Neurology, a revista médica da Academia Americana de Neurologia.

A pesquisa vem de especialistas que se perguntam se as enxaquecas causam uma má qualidade do sono ou se o sono abaixo da média leva às enxaquecas.

“Queríamos analisar pesquisas recentes para obter uma imagem mais clara de como as enxaquecas afetam os padrões de sono das pessoas e a gravidade de suas dores de cabeça”, disse um dos autores do estudo, Jan Hoffman, professor clínico sênior de neurologia no King’s College London, em um comunicado.

“Dessa forma, os médicos podem oferecer melhor suporte para as pessoas com enxaqueca e disponibilizar tratamentos mais eficazes para o sono”, acrescentou Hoffman, membro da Academia Americana de Neurologia. Hoffman presta consultoria, atua em grupos consultivos e recebeu honorários de várias empresas farmacêuticas, mas essas atividades não estão relacionadas ao trabalho submetido, de acordo com os autores.

Associações previamente observadas entre distúrbios do sono e enxaquecas têm sido difíceis de desvendar para os pesquisadores, uma vez que as alterações no sono podem ser um gatilho, tratamento ou sintoma de enxaquecas, escreveram os autores.

Embora as enxaquecas afetem cerca de 1 bilhão de pessoas e sejam uma das principais causas de incapacidade em todo o mundo, de acordo com um estudo de 2018, não houve muitas pesquisas conclusivas sobre o que os pacientes com enxaqueca pensam sobre a qualidade do sono – e se os testes laboratoriais objetivos correspondem a essas percepções, de acordo com o estudo.

A nova meta-análise incluiu mais de 10 mil adultos e crianças que haviam participado de estudos anteriores. Adultos com enxaqueca pontuaram pior do que participantes saudáveis no Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh, um questionário que pergunta sobre a qualidade do sono, quanto tempo leva para adormecer, duração e eficiência do sono, distúrbios do sono, uso de medicação para dormir e disfunção diurna. Esse achado foi mais comum entre adultos com enxaqueca crônica, em vez de episódica.

Muitos dos participantes foram submetidos à polissonografia durante a noite, um estudo do sono que registra certas funções corporais enquanto os participantes dormem e é usado para diagnosticar distúrbios do sono. Esses testes mostraram que adultos e crianças com enxaqueca tinham uma porcentagem menor de sono REM do que os grupos de controle. Crianças com enxaqueca também demoraram menos para adormecer, tiveram menos tempo total de sono e mais tempo acordadas.

“Este estudo foi um estudo de associação. Não foi um estudo causal, que sempre tem limitações”, disse Raj Dasgupta, professor assistente de medicina na Faculdade de Medicina Keck da Universidade do Sul da Califórnia, que não estava relacionado no estudo. “Seria bom saber o que eles veem em relação aos outros distúrbios do sono, como apneia obstrutiva do sono e outras coisas”.

Dores de cabeça e enxaquecas têm sido associadas a insônia, sonambulismo, bruxismo, síndrome das pernas inquietas e narcolepsia, acrescentou Dasgupta, algumas das quais podem implicar um fator genético.

Os estudos incluídos na meta-análise não relataram se os pacientes com enxaqueca tiveram o problema durante o sono em si, e seis estudos não incluíram uma noite extra para os participantes se adaptarem ao laboratório do sono, o que pode afetar o sono REM. E os autores não puderam explicar totalmente os diagnósticos de saúde mental em potencial ou o uso de medicamentos, fatores que poderiam influenciar o sono, de acordo com o estudo.

Mas a pesquisa começa a fornecer “uma compreensão mais clara das enxaquecas e como elas afetam os padrões de sono“, disse Hoffman.

Fatores subjacentes e dicas para sono e dor

Pesquisas anteriores relataram uma redução no sono REM na noite anterior a uma crise de enxaqueca, escreveram os autores. Um sintoma da enxaqueca que piorou após a privação do sono REM é a alodinia cutânea, quando alguém sente dor depois que sua pele é tocada de uma forma que geralmente não produz dor, de acordo com o estudo. Isso sugere uma possível disfunção nos processos do sono REM que pode causar enxaquecas.

Crianças com enxaqueca que adormeceram mais rápido do que crianças sem enxaqueca podem ter feito isso porque podem estar privadas de sono, disseram os autores.

Há maneiras de adultos e crianças tentarem aliviar os problemas de enxaqueca relacionados ao sono ou problemas de sono relacionados à enxaqueca.

Para as crianças, a Academia Americana de Pediatria (AAP) recomenda manter a higiene do sono – incluindo oito a 10 horas por noite, desligar aparelhos tecnológicos uma hora antes de dormir – e uma dieta saudável. Se seu filho tem problemas para dormir, um pediatra pode recomendar testes para ronco ou distúrbios do sono, que têm sido associados a enxaquecas, sugere a AAP.

Comer três refeições em horários consistentes ao dia, manter-se hidratado e evitar alimentos altamente processados, que geralmente contêm mais desencadeadores da enxaqueca – incluindo adoçantes, aditivos e corantes artificiais – pode ajudar.

O conselho para adultos é semelhante. “O sono pode melhorar as dores de cabeça”, disse Dasgupta, por isso é “importante ter a quantidade e a qualidade certas de sono. Lembre-se de que dormir muito também pode desencadear dores de cabeça, como as enxaquecas”.

Tente ir para a cama e acordar no mesmo horário todos os dias para regular o seu ciclo circadiano, passar mais tempo sob a luz natural diurna e evitar o álcool e o fumo, sugere o The Migraine Trust, uma instituição de caridade do Reino Unido que apoiou este estudo.

(Texto traduzido, para ler o original em inglês, clique aqui)

Mais Recentes da CNN