Rio amplia aplicação da 4ª dose para idosos de 70 anos ou mais a partir de hoje

Devem buscar os postos as pessoas dessa faixa etária que receberam a terceira dose há, pelo menos, seis meses

Profissional de saúde prepara dose de vacina contra Covid-19
Profissional de saúde prepara dose de vacina contra Covid-19 Michele Tantussi/Reuters

Pauline Almeidada CNN

Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Os idosos de 70 anos ou mais podem receber a quarta dose da vacina contra a Covid-19 a partir desta quarta-feira (27), na cidade do Rio de Janeiro. Devem buscar os postos as pessoas dessa faixa etária que receberam a terceira dose há, pelo menos, seis meses.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, serão utilizados imunizantes da Astrazeneca e Janssen. O município está sem estoque da Pfizer para adultos e aguarda o envio pelo governo federal.

“É importante que a população compareça às unidades de saúde para garantir a proteção individual e coletiva e manter o atual cenário epidemiológico favorável”, orientou o secretário Rodrigo de Sousa Prado.

Vale destacar que também ocorre a campanha nacional contra a gripe e os idosos com 70 anos ou mais poderão aproveitar a ida ao posto para tomar a vacina contra a influenza. Os dois imunizantes – Covid e gripe – podem ser recebidos no mesmo dia, de acordo com a prefeitura do Rio.

Na capital fluminense, o calendário de imunização da quarta dose contra o coronavírus seguirá sendo ampliado no próximo mês. O período para as pessoas de 70 anos ou mais continua até a próxima terça-feira (3). Do dia 4 até o dia 10 de maio, os postos vão atender os idosos de 65 anos ou mais. Já do dia 11 em diante, a aplicação é destinada aos moradores com 60 anos ou mais.

Até o momento, 81,6 mil idosos com 80 anos ou mais receberam o reforço com a quarta dose no Rio de Janeiro. Nesse mesmo público, 1.237.196 foram vacinados com a primeira dose; 1.228.940 com a segunda; e 1.101.252 com a terceira.

Raphael Guimarães, pesquisador da Fiocruz, destaca que a ampliação da faixa etária é uma medida importante diante da queda do potencial da vacina depois de alguns meses. Além disso, ele lembra que os idosos seguem como um dos grupos mais susceptíveis ao coronavírus. “A gente tem visto que, quando cresce a vacinação como um todo, volta a ter uma participação dos idosos entre os quadros mais graves”, alerta.

Guimarães ainda avalia que o Rio de Janeiro tem conseguido manter bons indicadores no combate à Covid-19, mas ainda precisa evoluir na aplicação da 3ª dose. Em relação aos adultos, a cidade tem 62,4% com o reforço.

Mais Recentes da CNN