Rio tem menor número de pacientes internados por Covid-19 desde abril de 2020

Eram 492 pessoas hospitalizadas na manhã desta sexta-feira; no pior momento da pandemia, total superou 1,5 mil

Adolescente é vacinado contra a Covid-19 em posto montado na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade do Rio de Janeiro
Adolescente é vacinado contra a Covid-19 em posto montado na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade do Rio de Janeiro Estadão Conteúdo

Stéfano Sallesda CNN

No Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A cidade do Rio de Janeiro tem nesta sexta-feira (24) 492 pacientes internados com Covid-19 em toda a rede SUS. Esse é o menor número desde abril de 2020. No auge da pandemia, esse total superou 1,5 mil pessoas. Os números foram apresentados na divulgação do boletim epidemiológico semanal, no Centro de Operações e Resiliência (COR-Rio).

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, celebrou a queda de internações e reforçou que o Rio de Janeiro vive um novo cenário epidemiológico com o avanço da campanha de vacinação. Nela, 99.8% dos cariocas adultos receberam ao menos a primeira dose e 66% deste público já apresenta esquema vacinal completo.

De acordo com o secretário, os pacientes internados com a doença na rede têm comportamento diferente do encontrado no restante da cidade. “O perfil é de pessoas que não tomaram vacinas e que não tomaram a segunda dose. Por isso antecipamos a segunda dose de quem tem mais de 50 anos e tomou a vacina da Pfizer. Quem tomou em atraso pode receber a segunda em 21 dias”, afirma.

Como a programação para que as pessoas com 50 anos sejam vacinadas já passou no calendário oficial e, agora, elas são imunizadas na repescagem, a antecipação beneficia um contingente pequeno, estimado na última segunda-feira (21) em 23 mil pessoas pelo prefeito Eduardo Paes (PSD). Diariamente, entre três e quatro mil pessoas atrasadas têm procurado os postos de imunização para receber a vacina fora da data correta.

Mais uma vez, Soranz reiterou que, apesar das flexibilizações e do cenário epidemiológico ter melhorado na cidade, é importante manter as medidas protetivas. “É muito importante que as pessoas saibam que ainda há transmissão de Covid-19 na cidade, que é necessário usar máscara, se proteger e evitar exposição desnecessária”, afirmou.

De acordo com o município, o número de pacientes internados vem em queda e está 42% menor que o registrado no último pico de internações, registrado há quatro semanas. Nesta sexta-feira e no sábado, a Secretaria Municipal de Saúde promove o que tem chamado de ‘Mega Vacinação’. No primeiro dia, repescagem para adolescentes de 12 e 13 anos. No dia seguinte, todos com 12 ou mais poderão ser imunizados. O município trabalha também com a expectativa de aplicar até 80 mil segundas doses.

Nesta sexta-feira o Rio de Janeiro encerra a campanha regular de aplicação da primeira dose em toda a população com 12 anos ou mais. A expectativa é que a segunda etapa, para maiores de 18 anos, seja finalizada em 15 de novembro. Sobre a dose de reforço em idosos, a meta é concluí-la até 31 de outubro. Neste caso, não há expectativa de antecipação, por conta do intervalo obrigatório entre a aplicação da segunda e da terceira dose.

A secretaria anunciou que, a partir de outubro, implementará uma nova estratégia para buscar cariocas que não tenham sido protegidos contra a Covid-19, com a montagem de postos avançados de imunização que serão instalados em estações do metrô e do BRT e farão busca ativa de não imunizados.

Mais Recentes da CNN