Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Saiba como se recuperar da ressaca após exagerar no dia anterior

    Especialistas apontam o que deve ser feito para diminuir os efeitos da ressaca

    Jarmoluk / Pixabay

    Ingrid Oliveirada CNN

    São Paulo

    Ouvir notícia

    Com as festas de fim de ano, certamente você já está preocupado com a famosa ressaca. Ela é causada pelo consumo exagerado de bebidas alcoólicas.

    “O álcool é absorvido e cai na corrente sanguínea, então ele vai ser distribuído para todos os órgãos. Os primeiros sintomas que a gente tem de euforia, bem-estar e tontura, e que depois vai dando uma depressão, são efeitos do álcool no sistema nervoso central [no cérebro]”, explicou à CNN Débora Poli, gastroenterologista do Hospital Sírio-Libanês.

     

    Quando o álcool chega no fígado, ele se torna um ‘agressor’. “Todas essas substâncias externas precisam ser metabolizadas para serem ser eliminadas.” Para que isso aconteça, o líquido é transformado primeiro em ácido acético — tarefa realizada pelo fígado.

    Contudo, o órgão demora muito tempo a fazer esta transformação [devido ao excesso de bebida]. Assim, as substâncias do álcool e o acetaldeído (produto tóxico) continuam a circular no organismo até serem transformados em ácido acético.

    O acetaldeído (etanal) se deposita em vários órgãos do corpo, exercendo sua toxicidade e provocando assim os sintomas da ressaca. Além disso, segundo Rogério Pinheiro Alves, gastroenterologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, o álcool causa a inibição de um hormônio antidiurético que faz com que a pessoa urine muito mais — consequentemente elimina água e fique desidratada.

    Pinheiro Alves disse que a “ressaca é fruto da desidratação que o organismo sofre e dessas substâncias do álcool que acabam sendo metabolizadas de uma forma não tão boa.”

    O que é bom para a ressaca?

    No dia seguinte ao porre, todos os ingredientes “antirressaca” são bem-vindos. E aí, vale tudo: antiácidos, sucos, café, Coca-Cola.

    Rogério Pinheiro Alves, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, aponta que a melhor maneira tratar uma ressaca é se hidratar.

    “Como o álcool aumenta a diurese, é importante sempre se hidratar muito bem. Água, água de coco, sucos em geral. Além de frutas que têm bastante líquido, como melão e melancia — além de repousar”, disse Débora Poli, gastroenterologista do Hospital Sírio-Libanês.

    Os especialistas apontam ainda que a ressaca pode ser evitada com algumas medidas simples, como comer algo enquanto bebe, beber mais devagar, consumir líquido não-alcóolico junto às bebidas. E o mais importante, segundo Poli, a qualidade da bebida também faz diferença.

    “Cuidado na compra da bebida alcóolica, em especial destilados. Bebidas falsificadas às vezes têm outras substâncias tóxicas podem dar uma ressaca ainda pior”, alerta a médica.

    Sintomas da ressaca

    Só quem já teve ressaca sabe a sensação de acordar no dia seguinte ao famoso ‘porre’. O gastroenterologista Pinheiro Alves diz que essa é a forma do corpo manifestar que algo está errado.

    “Normalmente, os principais sintomas da ressaca envolvem dor no corpo, sensação de mal estar, cefaleia [dor de cabeça], boca seca. Tudo bastante relacionado à desidratação.”

    Apesar desses sintomas leves e comuns, o sistema gástrico pode ser comprometido pelo consumo de álcool em excesso. O álcool pode causar uma lesão aguda da mucosa — como se fosse uma ‘gastrite’ — e isso gera náusea e vômito”, explica Pinheiro Alves.

    Débora Poli aponta que o álcool também causa uma inflamação no estômago e no intestino, então pode dar dor de estômago, diarreia — além de piorar o refluxo e causar azia e queimação.

    “Raramente a gente pode ter uma gastrite importante a ponto de ter sangramento relacionado ao uso de álcool”, disse a especialista do Sírio-Libanês.

    Garrafa e copo de cerveja
    A ressaca causa sensação de mal-estar como fraqueza, cansaço e enjoo / Foto: Freepik

    Quanto tempo dura a ressaca 

    É claro que a pessoa com ressaca quer se livrar da sensação de mal estar o mais rápido possível. A fraqueza, cansaço e enjoo tendem a diminuir a capacidade de o corpo realizar tarefas simples do dia a dia.

    Mas, afinal: quanto tempo dura uma ressaca? A médica explica depende muito das enzimas do fígado na metabolização do álcool. Segundo ela, quem tem o hábito de consumir álcool frequentemente vai ter menos ressaca do que quem não está habituado a consumir.

    “Intensidade, gravidade e tempo de duração, isso varia de pessoa para pessoa”, disse Débora Poli. “Esse componente genético conta tanto para o tempo [que a pessoa fica bêbada], quanto para a duração da ressaca.”

    “De maneira geral, a ressaca se cura em um dia — se você parar de beber”, explicou Pinheiro Alves.

    A ressaca pode causar problemas a longo prazo?

    De acordo com Pinheiro Alves, a ressaca “não vai causar nenhum transtorno a longo prazo. Nada crônico”

    “Esses sintomas de dor de cabeça, desidratação, isso não tem grandes consequências, a não ser o mal-estar em si”, disse Débora Poli.

    A gastroenterologista do Sírio-Libanês disse que as maiores consequências causadas pela ressaca são as perdas de dias de trabalho [por conta de indisposição] e os efeitos socioemocionais — famosa ressaca moral.

    Apesar disso, ambos especialistas ouvidos pela reportagem disseram que o consumo frequente de álcool pode causar problemas como cirrose e alterações cardíacas.

     

     

    Mais Recentes da CNN