Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    SP flexibiliza passaporte da vacina e libera do uso de máscaras em carros por aplicativo

    Liberação também vale para táxis, mas continua mantida em transportes públicos

    Pessoas com máscaras de proteção contra o coronavírus em região comercial de São Paulo
    Pessoas com máscaras de proteção contra o coronavírus em região comercial de São Paulo Foto: Amanda Perobelli - 11.jun.2020/ Reuters

    Carolina Fariasda CNN

    São Paulo

    A Prefeitura de São Paulo publicou no sábado (14) um decreto municipal que desobriga a exigência do passaporte da vacina para acesso em estabelecimentos da capital. O decreto que exigia o documento foi criado para tentar manter os ambientes mais seguros em um momento em que as coberturas de vacinação eram mais baixas.

    A prefeitura revogou ainda dois incisos do decreto municipal que obrigava o uso de máscara para motoristas e passageiros de táxis e por carros de aplicativo. As medidas já começaram a vigorar.

    De acordo com a prefeitura, a decisão considerou a cobertura de vacinação de 31,2 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 aplicadas em todas as faixas etárias e grupos elegíveis, além da diminuição das internações hospitalares por conta do coronavírus.  Atualmente, a taxa de ocupação é de 14% para enfermaria e 21% para as Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

    O uso das máscaras segue obrigatório nos transportes coletivos como ônibus, trens e metrô, além de unidades de saúde.

    Números recentes

    Até domingo (15), o Brasil registrou 46 novas mortes por Covid-19, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). A média móvel de sete dias de óbitos no país ficou em 111.

    Ao todo, 664.918 pessoas morreram em decorrência de uma infecção pelo coronavírus no Brasil desde o início da pandemia.

    No último período, o Conass contabilizou mais 6.296 casos da doença, elevando o total a 30.688.390. A média móvel de casos ficou em 17.693.

    Os índices consideram a média de infecções e mortes registradas nos últimos sete dias. Os dados permitem o acompanhamento dos indicadores da pandemia sem eventuais distorções causadas por possível subnotificação aos fins de semana.