Bolsonaro diz que ‘disponibilizou todos os meios’ após Manaus ficar sem oxigênio

Presidente diz que está sendo feito transporte de oxigênio e pacientes, destaca visita do ministro da Saúde à região e diz que enviou R$ 8,9 bilhões ao estado

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta sexta-feira (15) em suas redes sociais que “todos os meios foram disponibilizados” para atender a população do Amazonas, que enfrenta um colapso no sistema de saúde, com recorde de casos de Covid-19 e hospitais sem oxigênio para tratar pacientes.

“Como relatamos na live de ontem [quinta-feira]: transporte de oxigênio, transferência de pacientes para hospitais federais da região, etc”, escreveu Bolsonaro em sua conta no Facebook, ao listar as medidas do governo federal.

Ele destacou ainda o fato de o próprio ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ter passado três dias em Manaus nesta semana. A publicação foi acompanhada de uma imagem que mostra o valor transferido do governo federal para o estado do Amazonas e seus municípios: R$ 8,91 bilhões, segundo dados do Portal da Transparência.

Durante a transmissão ao vivo na rede social citada pelo próprio presidente, porém, Pazuello admitiu que a situação do sistema de saúde da cidade de Manaus pode ser considerada em colapso.

“O que caracteriza esse colapso é exatamente você não poder atender a fila e ter uma letalidade muito alta”, disse Pazuello, que participou de transmissão nas redes sociais ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Pazuello afirmou que normalizar o fornecimento de oxigênio para a cidade é a prioridade do governo federal neste momento. 

“A fila para leitos cresce bastante. Já estamos com 480 pessoas na fila. A realidade da diminuição da oferta de O2, não é interrupção, é diminuição da oferta. Há uma redução da oferta, estamos priorizando esse O2 nas UTIs”, afirmou.

Transporte de oxigênio e pacientes pela FAB 

A Força Aérea Brasileira (FAB) começou a transportar oxigênio na forma líquida para aumentar a disponibilidade

De acordo com o Comando da Aeronáutica, o avião C-130 Hércules que levou 6 cilindros de oxigênio líquido, totalizando 9.300 kg de carga, chegou na madrugada desta sexta a Manaus.

“Outros 25 mil metros cúbicos em isotanques também estão na programação de voos desta semana da FAB, partindo do aeroporto de Guarulhos”, disse o governo estadual.

Além disso, três aviões da FAB são utilizados para levar a outras cidades do país pacientes com Covid-19 internados em Manaus. Os três aviões foram fabricados pela Embraer: dois EMB 145 e um turboélice, o EMB 120, que recebeu o nome comercial de Brasília.

“Vários governadores já se colocaram à disposição para recepcionar pacientes com Covid-19 em seus estados e prontamente reservaram suas estruturas hospitalares para dar o apoio necessário para atender aos pacientes do Amazonas”, disse o Secretário Executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, em nota.

Segundo o ministério da Saúde, as transferências serão feitas por via aérea e já estão garantidos 149 leitos: 40 em São Luís (MA); 30 em Teresina (PI); 15 em João Pessoa (PB); 10 em Natal (RN); 20 em Goiânia (GO); 4 em Fortaleza (CE); 10 em Recife (PE) e 20 no Distrito Federal.

Os primeiros 9 pacientes dos 235 que serão transferidos foram transportados na manhã desta sexta-feira (15).

De acordo com o secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, coronel Luiz Otávio Franco Duarte, que coordena a operação, os pacientes transferidos têm condições adequadas e o suporte necessário para o transporte.

“São pacientes que ainda continuam dependente do oxigênio, mas eles têm toda a segurança para serem aerotransportados. É muito importante entender que o paciente do Amazonas que subir na aeronave terá toda a segurança e assistência, com cobertura até de assistentes psicossociais para que não haja falha nenhuma”, garantiu.

Paciente com Covid-19 é transferido do Amazonas pela Força Aérea Brasileira
Nove pacientes que estavam em unidades de saúde de Manaus, no Amazonas, foram transferidos nesta sexta-feira para Teresina, no Piauí
Foto: Lucas Silva – 15.jan.2021/Secom Amazonas

Prioridade de vacinação para Manaus

Na quarta-feira (13), Pazuello afirmou que a campanha de vacinação contra a Covid-19 começará ainda neste mês e que Manaus teria prioridade.

“Vamos vacinar em janeiro e Manaus será também a primeira a ser vacinada. Ninguém receberá a vacina antes de Manaus”, disse o ministro. “A vacina será distribuída simultaneamente em todos os estados, na sua proporção de população, e Manaus terá essa prioridade também”, afirmou Pazuello.

Após o pronunciamento de Pazuello, o ministério esclareceu que a vacinação em Manaus ocorrerá como em outros locais do país, de forma “simultânea e proporcional”, segundo apurou a colunista da CNN Basília Rodrigues, e que não haverá diferença de data e nem de quantidade de doses em comparação com outras cidades. Haverá apenas diferença de horário, por causa do fuso.

Restrições do governo estadual

Além das ações do governo federal, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), também elevou as restrições no estado para tentar conter os casos de Covid-19.

Entre as medidas anunciadas estão a suspensão do transporte coletivo de passageiros entre rodovias e rios (exceto cargas) e a proibição de circulação de pessoas entre 19h e 6h (exceto atividades e transporte de produtos essenciais).

Lima também decretou a proibição do acesso às instalações das escolas públicas estaduais nos dias 17 e 24 de janeiro, datas previstas para a realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O decreto está embasado em uma decisão da Justiça Federal do estado que suspendeu a realização das provas do Enem no Estado.

Mais Recentes da CNN